Espanha proíbe entrada de quem esteve no Brasil | Notícias internacionais e análises | DW | 02.02.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Espanha proíbe entrada de quem esteve no Brasil

Medida também afeta passageiros da África do Sul, com exceção de cidadãos espanhóis e residentes no país. Governo aponta preocupações com variantes do coronavírus.

Pessoas andam de máscara no aeroporto de Madri

Com a medida, Espanha segue decisão tomada por outros países, como Portugal, Alemanha e França

A Espanha anunciou nesta terça-feira (02/02) que vai proibir a entrada de passageiros de voos procedentes do Brasil e da África do Sul, com exceção de cidadãos espanhóis ou residentes no país e em Andorra. A decisão se deve às variantes do coronavírus originárias dos dois países.

A medida entrará em vigor às 9h desta quarta-feira (horário de Madri; 5h de Brasília) e ficará em vigor por 14 dias, até as 9h (5h de Brasília) de 17 de fevereiro, e poderá ser prorrogada dependendo da evolução da pandemia, disse a porta-voz do governo, María Jesús Montero, após reunião do Conselho de Ministros.

Durante esse período, voos do Brasil e da África do Sul poderão chegar à Espanha somente ocupados por cidadãos espanhóis ou de Andorra ou por residentes nos dois países, ou ainda por passageiros em trânsito internacional para um país fora do espaço Schengen (área comum da União Europeia).

Com a medida, a Espanha segue a decisão já tomada por outros países europeus, como Portugal, Alemanha e França, também preocupados com as variantes brasileira e sul-africana.

Montero explicou que as medidas fazem parte "da ação decisiva do governo para proteger a saúde dos cidadãos e conter a progressão da doença", de acordo com as recomendações da União Europeia.

A decisão foi tomada depois de várias comunidades autônomas espanholas, que têm competência no setor da saúde, terem pedido para restringir ao máximo os voos de ligação com o Brasil e a África do Sul, para "evitar que o vírus volte a entrar em Madrid-Barajas", o aeroporto internacional de Madri.

O país ainda continua a permitir a entrada de passageiros que tenham escala no país, mas há restrições: o viajante não pode deixar o aeroporto e só deve ficar "em trânsito" por no máximo 24 horas.

Além dessas novas restrições, a Espanha exige desde 23 de novembro um teste PCR negativo de passageiros que entram por vias aérea ou marítima provenientes de países em risco de coronavírus. O teste deve ser realizado 72 horas antes do desembarque.

Atualmente, a medida afeta pessoas procedentes de 58 países de fora da Europa. Além do Brasil, estão entre eles Argentina, Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Panamá e Uruguai. A partir da próxima segunda-feira, serão incluídos na lista Cuba, Equador, México, Paraguai, Peru e República Dominicana.

jps/ek (Lusa, Efe)

Leia mais