Drama ″Synonymes″ é melhor filme no Festival de Berlim | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 16.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Cinema

Drama "Synonymes" é melhor filme no Festival de Berlim

Premiado com Urso de Ouro na Berlinale, longa-metragem do diretor Nadav Lapid conta a história de jovem israelense que tenta recomeçar sua vida em Paris.

Foto do diretor Nadav Lapid recebendo Urso de Ouro da atriz Juliette Binoche, presidente do júri da Berlinale

Nadav Lapid recebe Urso de Ouro da atriz Juliette Binoche, presidente do júri da Berlinale

Presidido pela atriz francesa Juliette Binoche, o júri do 69° Festival de Cinema de Berlim premiou neste sábado (16/02) o longa-metragem Synonymes, do diretor israelense Nadav Lapid, com o Urso de Ouro, o prêmio de melhor filme da Berlinale.

A produção franco-alemã-israelense conta a história de um jovem de Israel, que tenta se livrar de seu passado e de sua nacionalidade em Paris. O filme relata sobre as dificuldades de criar novas raízes.

O Urso de Prata/Prêmio Especial do Júri foi para Grâce à Dieu, onde o diretor francês François Ozon aborda o atual processo judicial contra o cardeal Philippe Barbarin, arcebispo de Lyon, acusado de encobrir por muitos anos abusos sexuais a menores.

Já o Urso de Prata/Prêmio Alfred Bauer para "filme que abre novas perspectivas" foi para Systemsprenger, da diretora Nora Fingscheidt. O filme alemão conta a história de uma menina de nove anos que sobrecarrega todos os sistemas educacionais.

O Urso de Prata de melhor direção também foi para a Alemanha: na produção servo-alemã Ich war zuhause, aber, a diretora Angela Schanelec aborda o desaparecimento de um estudante de 13 anos.

Os dois Ursos de Prata de melhor atriz e melhor ator foram, respectivamente, para Yong Mei e Wang Jingchun, por suas interpretações na película chinesa So Long, My Son.

Dieter Kosslick, que dirigiu o Festival Internacional de Cinema de Berlim por 18 temporadas, despede-se este ano da Berlinale, cujo lema em 2019 foi "O privado é político".

Nos últimos dez dias, foram exibidos cerca de 400 filmes de 74 países no Festival de Berlim. O Brasil não tinha nenhuma produção concorrendo na competição principal.

Apresentado na mostra paralela Generation, o longa-metragem Espero tua (re)volta, da diretora brasileira Eliza Capai, foi agraciado neste sábado com o Prêmio da Anistia Internacional e da Paz.

Cena de Synonymes, de Nadav Lapid

Em "Synonymes", jovem israelense tenta recomeçar sua vida em Paris

Os principais premiados:

Urso de Ouro de melhor filme: Synonymes, do diretor israelense Nadav Lapid

Urso de Prata/Prêmio Especial do Júri: Grâce à Dieu, do francês François Ozon

Urso de Prata/Prêmio Alfred Bauer para "filme que abre novas perspectivas": Systemsprenger, da cineasta alemã Nora Fingscheidt

Urso de Prata de melhor direção: Angela Schanelec por Ich war zuhause, aber (Alemanha) 

Urso de Prata de melhor atriz: Yong Mei em So Long, My Son (China)

Urso de Prata de melhor ator: Wang Jingchun em So Long, My Son (China)

Urso de Prata de melhor roteiro: Maurizio Braucci, Claudio Giovannesi, Roberto Saviano por Piranhas (Itália)

Urso de Ouro de melhor curta-metragem: Umbra, de Florian Fischer e Johannes Krell (Alemanha)

CA/dpa/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais