Desvendando os mistérios do rei dos castelos de fada em Munique | Conheça os destinos turísticos mais famosos da Alemanha | DW | 13.08.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Turismo

Desvendando os mistérios do rei dos castelos de fada em Munique

Há 125 anos, o enigmático rei da Baviera Ludwig 2º morreu sob circunstâncias misteriosas. Hoje, o turismo se beneficia com seu legado. Em Munique, é possível visitar desde o castelo onde o monarca nasceu até seu túmulo.

default

Ludwig 2º: rei dos contos de fada

Na Baviera, quanto mais se procuram pistas sobre o rei Ludwig 2º, mais complexa e misteriosa parece ter sido sua vida. Há anos, milhares de turistas visitam os três castelos do monarca: Linderhof, Herrenchiemsee e Neuschwanstein – que serviu de inspiração para o castelo da Cinderela do Walt Disney World, nos Estados Unidos. Mas é na capital bávara que se descobrem as facetas mais interessantes do "rei dos contos de fada".

Munique é o lugar em que Ludwig 2º nasceu em 1845, de onde reinou oficialmente e onde seu corpo foi sepultado. É também a cidade mais odiada que amada pelo monarca e da qual ele sempre tentou fugir. Mesmo assim, a capital da Baviera presta agora homenagens ao rei.

Flash-Galerie 125. Todestag König Ludwig II. von Bayern

Turistas norte-americanos perguntam-se qual dos dois castelos é o real: o da Disney ou o Neuschwanstein

Para a secretária de Turismo, Gabriele Weishäupl, Ludwig 2º é um fenômeno mundial. Visitantes de todas as partes querem conhecer sua história. Muitos vêm da Ásia, dos Estados Unidos e também da Europa – especialmente da França, cujo rei Luís 14 e seu estilo de governo absolutista eram muito admirados pelo monarca bávaro.

A admiração era tanta que Ludwig 2º mandou construir uma réplica do palácio de Versalhes, o castelo Herrenchiemsee. Muitos detalhes da versão alemã, idilicamente situada sobre uma ilha densamente arborizada no lago Chiemsee, superam em tamanho e esplendor o modelo francês.

Sozinho na ópera

É difícil competir com o magnífico castelo de Herrenchiemsee. Mas Munique tem uma carta na manga: a residência no coração da cidade, em cujo telhado o rei mandou erguer um enorme jardim suspenso – do qual nada mais resta hoje, infelizmente.

Flash-Galerie 125. Todestag König Ludwig II. von Bayern

Castelo Herrenchiemsee, mais esplêndido do que o original na França

Há ainda o castelo Nymphenburg, onde Ludwig 2º veio ao mundo. Quem tiver sorte, conseguirá ver um descendente do rei – o duque Franz da Baviera, atual chefe da tradicional família nobre Casa de Wittelbach – passeando com seu amado dachshund pela propriedade.

De lá, peritos em Ludwig 2º do departamento de turismo conduzem os visitantes à ópera municipal de Munique. Apaixonado por música, o rei foi um ardente admirador do compositor Richard Wagner, cujas óperas mandou executar, só para si, mais de 200 vezes. "Ludwig 2º sentava-se sozinho no camarote dos Wittelsbach na ópera, que permanece até hoje à disposição da família", relata a guia Gertrud Schaller.

Para criar um ambiente acústico adequado, soldados eram encarregados de simular o público. Não podiam virar-se em hipótese alguma, pois o rei queria ficar sozinho, sem ser observado. "Os soldados sempre dormiam durante o 'serviço'. Mas roncar era estritamente proibido", conta Schaller.

Zugefrorener Kanal vor dem Schloss Nymphenburg in München

Castelo de Nymphenburg, onde Ludwig 2º nasceu

Túmulo fechado

Munique abriga também o túmulo de Ludwig 2º. A morte do jovem governante em 13 de junho de 1886, aos 41 anos, é um dos grandes mistérios sobre o rei bávaro. Até hoje não se sabe como e por que o monarca – destronado pouco antes – e seu psiquiatra, Bernhard von Gudden, morreram no lago Starnbergersee.

"Há inúmeras versões: assassinato, suicídio, o rei como assassino. E ainda: infarto por emoção após ter matado o próprio psiquiatra – o que não considero despropositado. As outras teorias são em parte muito fantasiosas", explica Weishäupl.

Ludwig II Ausstellung München Gaststube Deutsche Eiche

Exposição sobre o rei no restaurante Deutsche Eiche

Ainda hoje, especialistas em Munique discutem as diferentes especulações. A princípio, os descendentes do rei não permitem que seu túmulo seja aberto para tentar desvendá-las.

Ao acompanhar a guia Schaller à cripta da igreja Michaelskirche, no centro da cidade, e ouvir suas explicações, logo se percebe que, 125 anos após a morte do monarca , história e mito, lenda e realidade são quase indissociáveis.

Schaller relata que o dia do enterro foi turbulento. Pouco depois da chegada do caixão à igreja, uma tempestade violenta desabou. "Sob raios e trovões, o rei Ludwig foi levado à sepultura. Um raio a atingiu e arremessou algumas pessoas contra a parede da igreja. Em seguida, veio um trovão incrível", conta a guia.

À margem do circuito oficial

Além dos locais oficiais, é possível visitar outros fora do circuito turístico. Nos últimos meses, o famoso hotel Deutsche Eiche, popular entre homossexuais, tornou-se um ponto de adoração ao rei da Baviera. O lugar abriga uma exposição sobre o monarca e um telão que mostra o clássico de 1972 Ludwig 2º, de Luchino Visconti.

Flash-Galerie 125. Todestag König Ludwig II. von Bayern

De xícaras e pratos a chaveiros e camisetas – suvenires com o rosto do rei não faltam em Munique

Ao longo dos anos, Ludwig – amigo da imperatriz Sissi e noivo de sua irmã por um curto período – passou a interessar-se cada vez mais pelo sexo masculino. Mas, se esse era de fato um sinal de homossexualidade, isso permanece um dos muitos mistérios que o rei levou consigo para o túmulo.

Munique oferece, portanto, vários facetas de Ludwig 2º. Para todos, as incontáveis lojas de livros e suvenires, nas quais se encontram pratos, xícaras, adesivos, camisetas, chaveiros, figuras de porcelana e muito mais – tudo com o rosto do rei estampado.

Autor: Jochen Kürten (lpf)
Revisão: Roselaine Wandscheer

Leia mais