Coreia do Norte devolve restos de soldados mortos na guerra aos EUA | Notícias internacionais e análises | DW | 27.07.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Ásia

Coreia do Norte devolve restos de soldados mortos na guerra aos EUA

Trump agradece Kim Jong-un pelo retorno de caixas contendo restos mortais de militares americanos que morreram durante a Guerra da Coreia. Casa Branca diz que gesto é "impulso para mudanças positivas".

Entrega marcou aniversário de 65 anos do fim da Guerra da Coreia(Getty Images/Pool/J. Heon-Kyun)

Entrega marcou aniversário de 65 anos do fim da Guerra da Coreia

A Coreia do Norte devolveu aos Estados Unidos 55 caixas contendo o que se acredita serem restos de soldados americanos mortos durante a Guerra da Coreia, afirmaram autoridades nesta sexta-feira (27/07).

A entrega é o resultado de uma promessa feita pelo líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, ao presidente americano, Donald Trump, durante sua cúpula em Singapura em junho, e é o primeiro resultado substancial da reunião, cujo objetivo maior era discutir a desnuclearização da Coreia do Norte.

Uma aeronave militar Air Force C-17 dos EUA fez uma rara viagem para a Coreia do Norte para retirar as caixas com os restos dos soldados, cobertas com bandeiras azuis com a insígnia da ONU.

A Casa Branca disse que o avião deixou Wonsan, na costa norte da Coreia do Norte, rumo à base aérea de Osan, em Pyeongtaek, perto de Seul, capital da Coreia do Sul. Uma cerimônia de repatriação será realizada no local na quarta-feira.

Na sequência, as caixas serão levadas ao Havaí para serem processadas por uma agência do Departamento de Defesa dos EUA.

Pouco antes das caixas deixarem a Coreia do Norte, Trump expressou agradecimentos a Kim Jong-un. "Depois de tantos anos, esse será um grande momento para muitas famílias. Obrigado, Kim Jong-un", escreveu o presidente no Twitter.

Separadamente, a Casa Branca disse ter sido "encorajada" pelo retorno dos restos mortais e pelo "impulso para mudanças positivas".

Südkorea Osan Air Base in Pyeongtaek | Überführung sterbliche Überreste von US-Soldaten aus Koreakrieg

Acredita-se que os 55 restos mortais sejam parte dos mais de 200 conjuntos em posse da Coreia do Norte

Kim Jong-un prestou tributo aos "mártires" da guerra na Coreia do Norte e aos soldados chineses mortos no conflito, segundo a mídia estatal local.

Por volta de 7.700 soldados americanos estão listados como desaparecidos da Guerra da Coreia, e acredita-se que 5.300 dos restos mortais ainda estejam na Coreia do Norte. A guerra levou à morte de milhões de pessoas, incluindo 36 mil soldados americanos.

Entre 1990 e 2005, 229 conjuntos de restos mortais da Coreia do Norte foram repatriados, mas as operações foram suspensas com a deterioração das relações diplomáticas por conta do programa de armas nucleares de Pyongyang.

Segundo autoridades dos EUA, estima-se que a Coreia do Norte tenha até 200 conjuntos de restos mortais prontos para entrega.

Resultado tangível

Menos controversa que a desnuclearização, a repatriação dá à Casa Branca um resultado tangível do encontro em Singapura, cujos resultados na questão armas nucleares ainda não corresponderam às expectativas levantadas por Trump.

Recentemente, a Coreia do Norte teria começado a desmontar uma base de lançamento de mísseis na costa noroeste do país, segundo imagens de satélite, mas analistas avaliam que o passo é insuficiente para a desnuclearização.

A transferência dos restos mortais coincide com o aniversário de 65 anos do armistício entre as forças norte-coreanas e chinesas, de um lado, e forças lideradas pelos EUA e sob o Comando da ONU do outro. Tecnicamente, as duas Coreias ainda estão em guerra, pois um tratado de paz nunca foi assinado.

A Coreia do Sul recebeu bem o retorno dos restos mortais, que classificou como "progresso substancial que pode contribuir para alimentar a confiança" entre Pyongyang e Washington.

Coreia do Sul e Coreia do Norte realizarão um encontro na terça-feira para discutir formas de realizar sua própria cúpula em abril, na qual prometeram reduzir as tensões, disse o ministro de Defesa sul-coreano.

PJ/rtr/ap/afp

____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais