Congresso encerra breve ″apagão″ no governo dos EUA | Notícias internacionais e análises | DW | 09.02.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Estados Unidos

Congresso encerra breve "apagão" no governo dos EUA

Após perderem prazo final à meia-noite, Senado e Câmara dos Representantes aprovam na madrugada proposta orçamentária. Segundo apagão em três semanas durou, assim, apenas algumas horas.

Congresso em Washington

Após perderem o prazo final que se encerrava à meia-noite, congressistas aprovaram projeto orçamentário nas primeiras horas da manhã

O Congresso dos Estados Unidos aprovou nesta sexta-feira (09/02), com o voto de ambas as câmaras, um projeto de orçamento que permitirá a abertura, nas próximas horas, do governo, em fechamento administrativo desde a meia-noite. O projeto ainda precisa da assinatura do presidente Donald Trump para entrar em vigor.

Na manhã desta sexta-feira, a Câmara dos Representantes aprovou a nova lei orçamentária de cerca de 400 bilhões de dólares para os próximos dois anos, que havia sido anteriormente aprovada pelo Senado, pondo fim a um breve "apagão" do governo por falta de fundos.

Leia também: O difícil acordo sobre migração proposto por Trump                   

Após perderem o prazo final que se encerrava à meia-noite, os senadores democratas e republicanos conseguiram aprovar por 71 votos a 28 a nova proposta. Com a subsequente aprovação na Câmara e a ratificação de Trump, já prometida, a segunda paralisação do governo em três semanas terá durado apenas algumas horas da madrugada, sem afetar o funcionamento do governo.

A proposta inclui um acordo para aumentar os limites dos gastos pelos próximos dois anos e elevar o teto da dívida até março de 2019. A aprovação antes de a maior parte das instituições públicas começar a funcionar, pela manhã, evitou que cerca de 800 mil funcionários – os considerados "não essenciais" – tivessem que ficar em suas casas, suspensos de suas funções e dos salários.

As operações do governo federal foram brevemente paralisadas após o senador republicano Rand Paul, que rejeita o projeto orçamentário acordado na semana passada com os democratas, obstruir a votação em protesto pelo aumento dos gastos e o endividamento que a medida deverá gerar.

Paul, um dos senadores rebeldes na base governista republicana, ocupou a tribuna do Senado até o fim do prazo para a votação. Ele criticou o aumento nos gastos públicos e o que chamou de irresponsabilidade fiscal de seu partido, acusando-o de ser "cúmplice do déficit".

A proposta temporária para o orçamento federal inclui 300 bilhões de dólares para aumentar os limites dos gastos militares, além de aumentar o teto da dívida. O texto prevê ainda 90 bilhões para pacotes de ajuda a desastres e verbas para lidar com a crise do abuso de opioides em todo o país.

RC/afp/efe/ap

----------------

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais