Cerca de 10% da população mundial pode ter contraído covid-19, diz OMS | Notícias internacionais e análises | DW | 05.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Cerca de 10% da população mundial pode ter contraído covid-19, diz OMS

Se estimativas da Organização Mundial da Saúde estiverem corretas, mundo teria mais de 700 milhões de casos. Oficialmente, 35 milhões de pessoas contraíram a doença.

Michael Ryan, da OMS

Michael Ryan, da OMS, disse que o vírus "ainda tem um longo caminho para queimar"

Aproximadamente uma em cada dez pessoas pode ter sido infectada com o novo coronavírus, afirmou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta segunda-feira (05/10). A grande maioria da população mundial ainda estaria vulnerável à covid-19.

Se as estimativas da OMS estiverem corretas, isso significa que mais de 700 milhões de pessoas já foram contaminadas. Oficialmente, 35 milhões de pessoas no planeta contraíram a doença, segundo dados coletados pela Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos.

Segundo o diretor-executivo da OMS, Michael Ryan, os surtos da infecção estão aumentando em partes do sudeste da Ásia, além de infecções e mortes estarem aumentando em partes da Europa e na região leste do Mediterrâneo.

"Nossas melhores estimativas atuais apontam que cerca de 10% da população global pode ter sido infectada por esse vírus. Varia dependendo do país, varia do meio urbano ao rural, varia dependendo de grupos. Mas o que isso significa é que a vasta maioria do mundo continua em risco", disse Ryan. "Estamos entrando em um período difícil. A doença continua a se espalhar."

Ainda segundo o diretor, de acordo com os estudos sorológicos, o número de pessoas que atualmente tem anticorpos para o coronavírus – ou seja, que já foram infectadas – é relativamente baixo. "Em muitos casos, menor que 10%. Isso quer dizer que, a nível global, 90% ainda está suscetível à doença." Ryan ainda acrescentou que isso mostra que o vírus "ainda tem um longo caminho para queimar".

No final de setembro, o mundo ultrapassou a marca de 1 milhão de mortes por covid-19. Os Estados Unidos seguem como o país mais afetado no mundo, com mais de 209 mil mortes. Em seguida aparecem o Brasil, com mais de 146 mil óbitos, e a Índia, com mais de 102 mil.

JPS/rt/ots/ap

Leia mais