Casal chinês desaparece no Castelo de Neuschwanstein | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 05.07.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Casal chinês desaparece no Castelo de Neuschwanstein

Dois turistas que visitavam célebre castelo que inspirou Walt Disney não retornam ao ponto de encontro. Polícia alemã usa helicópteros com termovisores, cães farejadores e equipes de resgate alpino, mas sem sucesso.

Três dias depois do desaparecimento de dois turistas chineses no Castelo de Neuschwanstein, a polícia alemã comunicou que as buscas foram encerradas. "Procuramos em todos os pontos relevantes", disse um porta-voz da polícia nesta terça-feira (05/07). Isso inclui lugares próximos ao famoso castelo, uma das atrações favoritas dos turistas que visitam a Alemanha.

O casal desaparecido fazia parte de um grupo de turistas chineses e tinha ido no sábado, desacompanhado do grupo, ao célebre castelo que inspirou Walt Disney.

Assistir ao vídeo 02:39
Ao vivo agora
02:39 min

Castelo de Neuschwanstein

O homem de 37 anos e sua esposa, dois anos mais velha, não compareceram ao ponto de encontro no horário combinado com os demais turistas. Duas horas e meia mais tarde, o guia do grupo de turistas chineses chamou a polícia, que deu início a uma grande operação, incluindo helicópteros com termovisores, cães farejadores e equipes de resgate alpino.

O grupo de turistas continuou com sua turnê europeia, seguindo para a Itália. Nesta terça-feira está programado o voo de volta para a China, partindo de Amsterdã.

Ainda segundo o porta-voz, a polícia está em contato com a embaixada chinesa, para que familiares das pessoas desaparecidas estejam informadas.

Neuschwastein é o castelo mais famoso entre os construídos pelo rei bávaro Ludwig 2°. Ele é também umas das principais atrações turísticas da Alemanha, com mais de 1,5 milhão de visitantes por ano.

"Uma vez ou outra turistas não retornam ao ônibus no horário combinado", disse o porta-voz policial. "Mas que eles fiquem dias inacessíveis, mesmo via celular, é bastante raro."

PV/dpa/ots

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados