Carros alemães vendendo como nunca | Notícias e análises sobre a economia brasileira e mundial | DW | 31.07.2011
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Carros alemães vendendo como nunca

Apesar do impacto da crise econômica, indústria automobilística alemã salta de recorde em recorde. Este ano, os lucros jorram, e um fim para o "boom" das vendas não está à vista.

Feira de automóveis na Alemanha

Feira de automóveis na Alemanha

Sede do escritório central da Daimler, em Stuttgart

Escritório central da Daimler, em Stuttgart

As manchetes falam por si: "Daimler lucra como nunca", "Audi duplica lucros no primeiro semestre", "BMW tem grande potencial de crescimento". Os balancetes trimestrais divulgados pela indústria automobilística nos últimos dias contradizem o pessimismo das previsões anteriores. As montadoras alemãs vivem sua melhor fase; sobretudo na Rússia e na China seus negócios vão de vento em popa.

A Daimler alcançou no primeiro semestre do presente ano fiscal, um faturamento de 51 bilhões de euros, o que representa um crescimento de 10% em relação a 2010. O lucro líquido foi de 2,9 bilhões de euros, 50% superior ao do ano anterior.

Audi logo atrás da Daimler

Uma surpresa é o fato de – ao lado dos carros do segmento médio – os utilitários esportivos, apresentarem as melhores cifras. Também conhecidos como SUV (Sport Utility Vehicle), seu futuro não parecia muito risonho, já que consomem bastante combustível. Por outro lado, estão cada vez mais confortáveis e efetivos. Assim, a Daimler vai lançar ainda este ano o Mercedes-Benz classe M, que já pode ser encomendado pelos clientes.

BMW, um design futurista

BMW, um design futurista

A Audi concorre com a Daimler na luta pela segunda posição entre as principais montadoras. Integrada à Volkswagen, a Audi vendeu como nunca, este ano. Isto se deve, sobretudo, ao desenfreado boom automobilístico na Ásia. A empresa de Ingolstadt contabilizou 1,68 bilhão de euros entre janeiro e junho, ou seja: gordos 70% a mais que no mesmo período de 2010.

A BMW irá apresentar seus números somente na próxima terça-feira (02/08). Porém os analistas antecipam que a nobre marca da Baviera também ampliou fortemente seu faturamento e lucros, entre abril e final de junho. A multinacional, que já em meados de julho corrigira para cima sua previsão para este ano, deverá tirar proveito da expansão das vendas em todo o mundo.

VW a caminho da liderança de mercado

Contudo, a Volkswagem é a maior sensação, entre as fabricantes alemãs. Recentemente, o jornal econômico Handelsblatt a homenageou com a matéria de capa "O prodígio de Wolfsburg".

A companhia– que há duas décadas era caso de saneamento empresarial – tornou-se a estrela da indústria automobilística. No primeiro semestre de 2011, contabilizou um líquido de 6,5 bilhões de euros, ou seja, quase tanto quanto em todo o ano anterior.

Volkswagen está a caminho do topo

A caminho do topo

Com isso, a Volkswagem está a caminho de se tornar a montadora mais lucrativa do mundo. Até o final do ano, ela pretende entregar mais de 8 milhões de veículos a seus clientes, pondo-se par a par com a dupla campeã do mundo: Toyota e General Motors.

O presidente da VW, Martin Winterkorn, esclarece que a alta demanda consistente de mercados importantes foi o que impulsionou a empresa. A crise da dívida pública e o fim do bônus de sucateamento de carros prejudicaram as vendas na Europa, porém a procura continua intensa na China, Índia e América do Norte e do Sul.

O governador da Baixa Saxônia, David McAllister, considerou os números da Volkswagen "mais que impressionantes". Se a firma continuar nesse ritmo, poderá se tornar realidade seu objetivo de tornar-se a maior fabricante de automóveis do mundo, no máximo até 2018: "A Volkswagen está deixando a concorrência para trás".

Autor: Klaus Ulrich (br)
Revisão: Augusto Valente

Leia mais