Carnaval de Colônia declara guerra aos mijões | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 05.02.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Carnaval de Colônia declara guerra aos mijões

Com poucos banheiros e um público de mais de um milhão de foliões, nem mesmo as multas de 200 euros têm evitado o problema na cidade que sedia o maior carnaval de rua da Alemanha.

Fazer xixi na rua pode custar caro na Alemanha: em Colônia a multa pode chegar a 200 euros (R$ 800 reais)

Fazer xixi na rua pode custar caro na Alemanha: em Colônia a multa pode chegar a 200 euros (R$ 800 reais)

Não é só no Brasil que o carnaval de rua gera problema. Em Colônia, capital do carnaval na Alemanha, o governo está fazendo esforços para que neste ano os foliões não façam xixi na rua.

Com um público que ultrapassa um milhão de pessoas, o carnaval da cidade terá 700 banheiros químicos à disposição dos foliões. Quase nove vezes mais que os 80 disponíveis no ano passado.

O aumento tem um motivo: para muitos moradores, a diversão do carnaval é associada cada vez mais a brigas, lixo e urina. Para lidar com isso, a administração municipal destinou cerca de 900 mil euros (R$ 3,6 milhões) para que o carnaval de rua corra de forma mais tranquila.

Assistir ao vídeo 00:40

Quatro formas diferentes de festejar o Carnaval pelo mundo

Mesmo com multas que chegam aos 200 euros (R$ 805) para aqueles que forem flagrados urinando na rua, este é um problema cada vez maior para os moradores da cidade.

Em Colônia, o carnaval oficial é festejado praticamente nos mesmos dias que no Brasil. Só que a abertura oficial, com um dia de festa, já é festejada no dia 11/11, às 11h11. No último ano, a data caiu justamente em um sábado, atraindo um público grande e acentuando as discussões acerca dos excessos da comemoração na cidade.

"Deixar as coisas acontecerem e esperar que tudo ficará bem, para muitas pessoas já não é mais uma opção”, afirma a prefeita Henriette Reker. "Nós não estamos nos queixando do carnaval. Nós nos queixamos daqueles que não entendem o carnaval.”

Na busca de explicações do porquê de a situação em Colônia vir piorando com o tempo, o psicólogo Stephan Grünewald argumenta que esse é um fenômeno comum em festas ao ar livre.

Segundo ele, "ao ar livre, as pessoas são menos civilizadas”. Os piores excessos acontecem, na opinião do psicólogo, em locais que parecem mais abandonados. Nestas situações, "os espaços públicos não teriam um efeito educativo”, afirma, em entrevista à agência de notícias DPA.

Porém, com os 700 banheiros químicos à disposição, segundo a secretária de ordem pública Engert Rummel, quem não for ao banheiro a partir de agora não tem mais nenhuma desculpa - "nenhuma!”, frisou.

Os valores das multas nas cidades alemãs evidenciam que xixi na rua definitivamente não é bem-vindo no país. Em Mainz, outra cidade com forte tradição de carnaval, a multa é de 75 euros (R$ 300), já em Munique, onde acontece a Oktoberfest, o valor fica em 100 euros (R$ 400). No extremo está a cidade de Stuttgart: lá, quem descumprir a regra pode ter que pagar até 5 mil euros (R$ 20  mil). Em comparação, a multa em Berlim de 20 euros (R$ 80) parece até uma pechincha.

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados