Brexit sem acordo trará controles de fronteira na Irlanda, adverte Juncker | Notícias internacionais e análises | DW | 22.09.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

União Europeia

Brexit sem acordo trará controles de fronteira na Irlanda, adverte Juncker

Chefe da Comissão Europeia explica que defesa de interesses da UE obrigará a estabelecer "fronteira dura" entre duas Irlandas. Frisando não achar que Boris Johnson esteja brincando, ele diz ainda acreditar numa solução.

Fronteira entre República da Irlanda e Irlanda do Norte

Fronteira entre República da Irlanda e Irlanda do Norte – ainda aberta

Controles de fronteira serão instalados entre a Irlanda do Norte e a República da Irlanda, caso o Reino Unido saia da União Europeia sem um acordo, declarou o chefe da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, à emissora britânica Sky News, neste domingo (22/09).

O bloco deve "assegurar que os interesses seus e do mercado interno serão preservados", acrescentou. A fórmula para manter uma fronteira sem atritos entre a Irlanda, país-membro da UE, e a Irlanda do Norte, que integra o Reino Unido, é uma das discussões mais árduas em torno do Brexit.

A UE teme que uma "fronteira dura" possa causar conflitos na Irlanda do Norte, minando a frágil paz conferida pelo acordo de 1998, que deu fim a três décadas de violência entre os nacionalistas irlandeses, defensores de um país unido, e forças de segurança britânicas e unionistas pró-britânicos.

Juncker exemplificou que, não havendo uma fronteira após um Brexit sem acordo, um animal que entre na Irlanda do Norte poderia então passar para a UE via Irlanda, sem qualquer controle. "Isso não vai acontecer. Temos que preservar a saúde e segurança de nossos cidadãos", assegurou.

A data fixada para o divórcio britânico-europeu é 31 de outubro, constituindo para o Reino Unido a maior reviravolta no comércio e na política externa em mais de 40 anos; além de privar a UE de uma de suas maiores economias. Muitos advertem que uma saída desordenada, sem acordo, causará brutais distúrbios econômicos.

Segundo Juncker, ainda há tempo para Londres e Bruxelas fecharem um acordo de separação. Ao jornal espanhol El País, ele revelou que tivera conversas "construtivas e em parte positivas" com o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, na última segunda-feira, em Luxemburgo.

"Acredito que ainda tenhamos uma chance de alcançar um acerto", citou-o o periódico. "Não partilho as opiniões de quem ache que Johnson esteja fazendo joguinhos conosco e consigo mesmo." O político luxemburguês frisou ainda que, para ele, a partida do Reino Unido é "um momento trágico para a Europa".

AV/ap,rtr,afp

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | App | Instagram | Newsletter

Leia mais