Brasil ultrapassa marca de 155 mil mortos por covid-19 | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 21.10.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Brasil ultrapassa marca de 155 mil mortos por covid-19

País registra mais 565 óbitos em 24 horas, elevando o total para 155.402. Novos 24 mil casos da doença são contabilizados. Número de infecções passa de 5,2 milhões.

O Brasil ultrapassou nesta quarta-feira (21/10) a marca de 155 mil mortos em decorrência da covid-19. O país é o segundo do mundo em número de óbitos, atrás apenas dos Estados Unidos, onde mais de 221 mil mortes foram registradas.

Dados divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass) apontam que mais 565 mortes por covid-19 foram notificadas no Brasil nas últimas 24 horas. Com isso, o total de óbitos pela doença chegou a 155.402.

O Brasil ainda registrou oficialmente mais 24.818 casos, elevando o total para 5.298.772. Segundo o Ministério da Saúde, 4.721.593 pessoas haviam se recuperado da doença até terça-feira. O Conass não divulga número de recuperados.

Diversas autoridades e instituições de saúde alertam, contudo, que os números reais de casos e mortes devem ser ainda maiores, em razão da falta de testagem em larga escala e da subnotificação.

Um dos casos de covid-19 notificados nesta quarta-feira foi o do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello. Ele passa a ser o 12º integrante do primeiro escalão do governo de Jair Bolsonaro a contrair o coronavírus.

São Paulo é o estado brasileiro mais atingido pela epidemia, com 1.073.261 casos e 38.371 mortes. O total de infectados no território paulista supera o dos registrados em praticamente todos os países do mundo, exceto Estados Unidos, Índia e Rússia.

Minas Gerais é o segundo estado brasileiro com maior número de casos identificados, somando 340.502, seguido de Bahia (339.215), Rio de Janeiro (293.940), Ceará (266.316) e Pará (243.118).

A taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes subiu para 73,9 no Brasil, uma das mais altas do mundo. Segundo dados da Universidade Johns Hopkins, dos EUA, o Brasil é a quarta nação com a maior proporção de mortes no mundo, se desconsideradas a micronações europeias San Marino e Andorra.

Neste quesito, o país só está atrás de Peru (105,72), Bélgica (91,83) e Bolívia (75,10). Está à frente dos EUA (67,57), o país com maior número absoluto de mortos do mundo, e do Reino Unido (66,26), a nação europeia com mais óbitos.

Em números absolutos, o Brasil é o terceiro país do mundo com mais infecções, atrás apenas dos Estados Unidos, que somam mais de 8,3 milhões de casos, e da Índia, com 7,6 milhões.

Ao todo, mais de 41 milhões de pessoas contraíram o coronavírus no mundo, enquanto mais de 1,1 milhão morreram em decorrência da doença, segundo contagem mantida pela Universidade Johns Hopkins.

CN/ots

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados