Bombardeio atinge comboio de ajuda humanitária na Síria | Notícias e análises internacionais mais importantes do dia | DW | 19.09.2016
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Bombardeio atinge comboio de ajuda humanitária na Síria

Após Exército sírio declarar fim de cessar-fogo, pelo menos 18 caminhões da ONU e do Crescente Vermelho são atacados no norte da província de Aleppo. Comboio levava mantimentos para 78 mil pessoas.

default

Caminhão atingido por ataque aéreo perto de Urum al-Kubra

Pelo menos 18 caminhões de um comboio de ajuda humanitária, organizado pela ONU e pelo Crescente Vermelho, foram atingidos por um bombardeio nesta segunda-feira (19/09) perto da cidade de Urum al-Kubra, dominada pelos rebeldes, no norte da província de Aleppo, na Síria.

Segundo o porta-voz da ONU, Stephane Dujarric, o comboio de 31 caminhões levava mantimentos para 78 mil pessoas que estão isoladas em Urum al-Kubra. O incidente ocorreu durante um ataque aéreo na cidade.

Assistir ao vídeo 00:59
Ao vivo agora
00:59 min

Menino sírio retirado dos escombros

"Nossa indignação com esse ataque é enorme. O comboio foi resultado de um longo processo de permissão e preparação para ajudar civis isolados", disse o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura.

A ONU não informou se houve vítimas no ataque. No entanto, o Observatório Sírio de Direitos Humanos afirmou que ao menos 12 pessoas morreram no bombardeio. A maioria das vítimas seriam motoristas dos caminhões e uma dela era funcionário do Crescente Vermelho.

Ainda de acordo com a ONG, aviões não identificados atacaram os caminhões do comboio quando este levavam mantimentos para regiões controladas pelos rebeldes. O envio destas cargas estaria sendo realizado mensalmente.

O ataque ocorreu após o Exército sírio declarar nesta segunda-feira o fim do cessar-fogo acertado pela Rússia e pelos EUA e que estava em vigência desde a semana passada. Regime e rebeldes acusaram-se mutuamente de violar a trégua.

CN/rtr/efe/lusa/afp

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados