Biden apela para que americanos se vacinem | Notícias internacionais e análises | DW | 19.07.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Estados Unidos

Biden apela para que americanos se vacinem

Presidente apontou que quase todas as novas internações por covid-19 estão ocorrendo com pessoas não imunizadas. Democrata também voltou a reclamar da disseminação de notícias falsas sobre vacinas no Facebook.

USA Washington | Präsident | Joe Biden

"Por favor, por favor, vacinem-se. Seja vacinado agora", disse Biden

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, pediu nesta segunda-feira (19/07) aos americanos para que eles se vacinem contra o coronavírus, apontando que os não vacinados são responsáveis pelos últimos aumentos de casos da doença.

Em um discurso sobre a economia americana, Biden disse que a recuperação depende de manter a pandemia sob controle. Ele disse que quatro estados com baixos níveis de vacinação foram responsáveis por 40% de todos os novos casos da doença na semana passada.

"Então por favor, por favor, vacinem-se", disse Biden. "Seja vacinado agora."

Na semana passada, o Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) apontou que 97% das novas internações no país são de pessoas ainda não completamente imunizadas.

No momento, a média móvel de sete dias de infecções nos EUA está em 31.281 casos ao dia, a mais alta desde meados de maio.

No momento, 56,1% dos americanos de todas as idades dos EUA já tomaram uma dose de vacina - e 48,6% estão totalmente imunizados.

Após um sucesso inicial, o ritmo de vacinação no país tem se estagnado, e não pela falta de vacinas, como ocorre no Brasil. Diversas autoridades locais têm até lançado premiações e oferta de brindes para atrair a população a se imunizar.

O presidente Biden esperava imunizar pelo menos 70% da população adulta com pelo menos uma dose até 4 de julho, o principal feriado nacional do país. Duas semanas depois do prazo, o país tem 68,3% de imunização entre os maiores de 18 anos.

A pandemia já provocou a morte de mais de 600 mil pessoas nos EUA. Mais de 34 milhões de americanos receberam diagnóstico positivo para a doença desde o início da crise.

Acusações contra o Facebook

Também nesta segunda-feira, o presidente Biden adotou um tom mais moderado ao falar sobre a rede social Facebook. Na semana passada, Biden disse que a empresa estava "matando pessoas" ao permitir a disseminação de informações falsas sobre vacinas contra o coronavírus. Nesta segunda, Biden afirmou a repórteres que "não é o Facebook" que está matando pessoas, mas uma "meia dúzia de pessoas por aí dando informações erradas pela plataforma".

"Minha esperança é que o Facebook, em vez de levar para o lado pessoal, faça algo sobre a desinformação", completou o presidente.

Ao ser questionado na última sexta-feira sobre qual mensagem enviaria às empresas de redes sociais, Biden respondeu: "Elas estão matando as pessoas… Veja, a única pandemia que temos é entre os não vacinados. Estão matando pessoas".

jps (Reuters, ots)

Leia mais