Banco Central bloqueia contas de Lula | Notícias e análises sobre os fatos mais relevantes do Brasil | DW | 19.07.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Brasil

Banco Central bloqueia contas de Lula

Determinação expedida pelo juiz federal Sérgio Moro ordena confisco e arresto de apartamentos e veículos do ex-presidente. Decisão foi tomada para fins de reparação de danos à Petrobras no processo ligado à Lava Jato.

O Banco Central bloqueou 606,727 mil reais das contas do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nesta quarta-feira (19/07). A ordem foi expedida pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, em 14 de julho, mas estava sob sigilo até que o bloqueio fosse realizado.

Leia também:"Grande show da corrupção", diz imprensa alemã

Leia também: Em que Moro baseou a sentença contra Lula

A decisão foi tomada para fins de reparação de danos à Petrobras no processo em que o ex-presidente foi condenado a 9 anos e meio em primeira instância, no âmbito da Operação Lava Jato. Moro também determinou o confisco de imóveis e veículos do petista.

"Em síntese, reconhecido que contrato celebrado entre o Consórcio Conest/Rnest gerou cerca de 16 milhões de reais em vantagem indevida a agentes do Partido dos Trabalhadores (PT), deles sendo destinados especificamente cerca de 2.252.472 milhões de reais ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na forma da atribuição a ele de apartamento no Guarujá, sem o pagamento do preço correspondente, e da realização de reformas no apartamento às expensas da OAS", escreveu Moro na decisão.

Assistir ao vídeo 03:18
Ao vivo agora
03:18 min

Consciência Sul: "Lula é alvo de campanha para tirá-lo das próximas eleições"

Com o embargo do triplex no Guarujá tendo sido decretado já na sentença publicada na semana passada, Moro decidiu que as contas e bens de Lula devem ser embargadas até que se atinja o valor de 16 milhões de reais que, segundo a denúncia, foram depositados na forma de propina na conta-corrente compartilhada entre o PT e a empreiteira OAS.

Dentre os bens que tiveram confisco decretado estão 50% da posse sobre três apartamentos em São Bernardo do Campo e 35,92% de um quarto apartamento na mesma cidade, referentes às partes sobre a qual Lula tem posse. Além dos imóveis, Moro determinou o confisco de dois veículos: um GM Omega CD ano 2010 e um Ford Ranger LTD ano 2012/2013. O Ministério Público federal (MPF) chegou a pedir o arresto do veículo Ford F1000, de 1984. Entretanto, Moro negou devido à antiguidade do veículo.

O sequestro e o arresto são medidas cautelares que evitam que o réu se desfaça de bens ou valores que podem ser entregues à Justiça após decisão definitiva. No momento, Lula pode usufruir dos bens. Já os carros não podem ser vendidos ou repassados a terceiros.

Moro decretou que o Banco Central bloqueasse as contas e ativos de Lula até o limite de 10 milhões de reais. Segundo ele, a medida se faz necessária porque apenas o confisco de bens não cobre o valor dos danos causados pela atividade criminosa.

"No mesmo ofício ao Banco Central deverá constar ainda que as instituições financeiras deverão apenas efetuar o bloqueio, sem a transferência do valor para a conta judicial até ulterior determinação do juízo, a fim de se evitar eventuais perdas em razão do resgate antecipado", diz o despacho.

O juiz também determinou que a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) fosse notificada para tornar indisponíveis quaisquer ações e bens em nome do ex-presidente.

PV/lusa/abr/ots

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados