Astronauta russo mostra buraco na Estação Espacial Internacional | Novidades da ciência para melhorar a qualidade de vida | DW | 10.09.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Ciência

Astronauta russo mostra buraco na Estação Espacial Internacional

Em vídeo, cosmonauta diz estar "tudo calmo a bordo". Furo misterioso em cápsula que veio da Terra causou vazamento de ar e queda na pressão dentro da estação. Chefe da agência espacial russa fala em possível sabotagem.

A cápsula Soyuz, que transporta astronautas para a ISS e de volta à Terra

Buraco foi encontrado na cápsula Soyuz, que transporta astronautas para a ISS e de volta à Terra

O astronauta russo Serguei Prokopyev, a bordo da Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês), gravou um vídeo para aliviar as preocupações geradas por um pequeno buraco que chegou a causar uma queda na pressão do ar dentro da estação há alguns dias.

O vídeo de quase dois minutos foi publicado nesta segunda-feira (10/09) pela agência espacial russa, conhecida como Roscosmos, nas redes sociais. Nele, Prokopyev mostra o misterioso furo, já selado, e explica como a tripulação localizou e vedou o buraco.

"Como vocês podem ver, está tudo calmo a bordo. Estamos vivendo juntos e em paz como sempre", afirmou o cosmonauta de 43 anos, que está em sua primeira missão no espaço. "Nossa expedição internacional conjunta trabalha num ambiente amigável."

Prokopyev falava de dentro da cápsula Soyuz, onde foi detectado o furo. A Soyuz é um tipo de nave espacial russa encarregada de levar à Estação Espacial Internacional e trazer de volta à Terra os astronautas em missão no espaço.

A cápsula em questão, que está atracada à ISS, chegou à estação em junho deste ano, transportando, além do cosmonauta russo, uma astronauta americana e um alemão. Eles se uniram a dois americanos e um russo que já estavam em missão no espaço.

O buraco na Soyuz foi localizado em 30 de agosto, após ter sido constatado um vazamento de ar na estação, que causou uma ligeira queda na pressão. O problema não chegou a oferecer riscos à tripulação da ISS, em órbita a cerca de 400 quilômetros da Terra.

Na semana passada, o chefe da Roscosmos, Dmitry Rogozin, iniciou uma polêmica ao sugerir que o furo não foi gerado por acidente, mas teria sido feito com uma broca e de forma deliberada – seja na Terra, antes de partir em junho rumo à ISS, ou por astronautas no espaço.

Uma fonte russa, identificada como um ex-cosmonauta, chegou a afirmar que o buraco poderia ter sido perfurado por um astronauta mentalmente desequilibrado.

A agência espacial russa convocou uma comissão para investigar o incidente, que deve ser solucionado até meados de setembro, espera a Roscosmos.

Fotos do buraco não foram oficialmente tornadas públicas, embora a agência espacial americana, a Nasa, tenha publicado brevemente uma imagem em um vídeo antes de excluí-lo.

Na gravação publicada nesta segunda-feira, Prokopyev mostra o furo já selado por um material escuro, escondido sob uma aba acolchoada. Ele descreve como os astronautas descobriram "o buraco de 2 milímetros por onde o ar estava escapando" e o cobriram com três camadas de selante.

"Por favor, não se preocupem, estamos bem", afirma, sorridente, o astronauta, garantindo que o módulo está agora "completamente fechado hermeticamente". O buraco foi encontrado em uma seção que não será usada para a viagem de retorno à Terra.

"Como vocês podem ver, podemos ficar aqui facilmente sem capacetes espaciais, e ninguém está aqui tapando o buraco com o dedo, como escreve a imprensa", brinca. Prokopyev deixa claro que resolveu gravar o vídeo para "dissipar rumores".

A postagem gerou comentários aliviados nas redes sociais. "Vocês estão indo muito bem. Sim, as pessoas se preocuparam muito", afirmou uma seguidora. Outros brincaram sobre o incidente: "Da próxima vez, tente fazer furos enquanto estiver sóbrio."

EK/afp/ap/efe

____________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp
 | App | Instagram | Newsletter

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados