As principais notícias sobre a pandemia de coronavírus (02/04) | Notícias internacionais e análises | DW | 03.04.2020

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

As principais notícias sobre a pandemia de coronavírus (02/04)

Mundo tem mais de 1 milhão de infectados, enquanto metade da população global está confinada. Ministério da Saúde diz que vírus já estava no Brasil em janeiro. Alemanha aumenta leitos de UTI em 43%.

Resumo desta quinta-feira (02/04):

  • Mundo tem mais de 1 milhão de casos confirmados, mais de 51 mil mortes e 208 mil pacientes recuperados 
  • Brasil registra 7.910 casos de coronavírus e 299 mortes, segundo Ministério da Saúde
  • Governo diz que coronavírus já estava no Brasil em janeiro
  • Espanha registra recorde diário de mortes e tem mais de 10 mil vítimas
  • EUA ultrapassam marca de 5 mil mortes
  • Metade da população global está confinada

Transmissão encerrada. As atualizações desta quinta-feira estão no horário de Brasília:

20:55 – Damares diz que denúncias de violência contra mulher cresceram 9%

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, afirmou que o país registrou um aumento de 9% no volume de denúncias de violência doméstica contra mulheres na semana passada, em comparação com a semana anterior.

Segundo ela, o aumento da violência é uma tendência mundial com mais gente permanecendo em casa devido às medidas de isolamento social impostas para conter a pandemia de coronavírus.

De acordo com a Ouvidoria Nacional de Direitos Humanos (ONDH), vinculada ao ministério, a média diária entre os dias 1º e 16 de março foi de 3.045 ligações recebidas e 829 denúncias registradas, contra 3.303 ligações recebidas e 978 denúncias registradas entre 17 e 25 do mesmo mês, um aumento percentual de 8,47%.

Em coletiva de imprensa, Damares também anunciou o lançamento de um aplicativo de smartphone para o recebimento de denúncias, tanto do Disque 180, quanto do Disque 100. Batizado de Direitos Humanos BR, o app está disponível para os sistemas Android e IOS.

A ideia, segundo a ministra, é enfrentar um dos fenômenos observados em outros países que também passam por período de confinamento: com agressores e vítimas sob o mesmo teto 24 horas por dia, a busca por canais de denúncia via telefone tende a diminuir, uma vez que a pessoa agredida não consegue pedir ajuda reservadamente. 

"Acreditamos que, dessa forma, a pessoa mesmo dentro de casa poderá ir para um cantinho, um banheiro, mesmo com o agressor dentro de casa, e fazer a sua denúncia", disse a ministra.

20:45 – Trump diz que seu segundo exame também deu negativo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou nesta quinta-feira que o resultado de seu segundo teste de coronavírus também deu negativo. O exame envolveu um novo método rápido que, segundo ele, levou um minuto para ser concluído e apenas 15 para apresentar um resultado.

"Eu fiz por curiosidade para ver com que rapidez ele funciona. É muito mais fácil. Eu fiz dos dois [tipos]. O segundo é mais agradável", disse Trump em entrevista coletiva.

Os EUA são o país com maior número de infecções no mundo, somando mais de 236 mil casos – mais que o dobro do segundo país mais afetado, a Itália, que contabiliza 115 mil ocorrências.

20:25 – Bolsonaro diz que governadores têm "medinho" do novo coronavírus

O presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar nesta quinta-feira alguns governadores que impuseram medidas de distanciamento social em seus estados para conter a pandemia de covid-19, afirmando que eles têm "medinho" de serem infectados através do contato com a população.

"Eu fui em Ceilândia e Taguatinga no fim de semana passado e fui massacrado pela mídia. Disseram que fui passear, fui passear coisa nenhuma, eu fui ver o povo lá. Duvido que um cara desses, um governador desses, um Doria da vida, um Moisés, vá no meio do povo. Vão nada. A justificativa é: 'não vou porque posso pegar'. Tá com medinho de pegar vírus, é?", afirmou.

Na fala, Bolsonaro se referia diretamente aos governadores de São Paulo, João Doria (PSDB), e de Santa Catarina, Carlos Moisés (PSL), em conversa com pastores evangélicos em Brasília.

O presidente ainda voltou a criticar medidas de isolamento social e a minimizar o impacto do novo coronavírus, um discurso que vem adotando desde o início da pandemia.

"Eu desconheço qualquer hospital que esteja lotado. Muito pelo contrário. Tem um hospital no Rio de Janeiro, um tal de Gazolla, que se não me engano tem 200 leitos, e só tem 12 ocupados. Não é isso tudo que estão pintando. Até porque no Brasil a temperatura é diferente. Tem muita coisa diferente", afirmou, sem dizer de onde tirou esses dados.

Contudo, segundo uma estimativa do Ministério da Saúde divulgada pelo jornal O Globo, no final de março, 17 dos 27 estados tinham mais de 70% de seus leitos de terapia intensiva ocupados. O Brasil soma 7.910 casos e 299 mortes, segundo o Ministério da Saúde.

20:00 – Ministério da Saúde diz que coronavírus já estava no Brasil em janeiro

O Ministério da Saúde informou nesta quinta-feira que o primeiro caso de coronavírus no Brasil foi identificado ainda no fim de janeiro. Até então, a primeira confirmação datava de 26 de fevereiro, um homem de 61 anos, morador de São Paulo, que havia viajado para a Itália.

"Estamos fazendo a investigação de casos internados. Muitos desses casos estão com material colhido, e nós tivemos a partir de investigação retrospectiva a identificação do primeiro caso confirmado, ele é da semana epidemiológica 4, de 23 de janeiro", disse o secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Wanderson Oliveira, em entrevista coletiva no Planalto.

Ele não deu detalhes sobre a identidade ou a cidade do paciente infectado, mas afirmou que se trata de um caso importado de outro país. "Esse caso agora está sendo mais investigado, mas o resultado laboratorial é PCR, não tenho dúvidas de que é um caso confirmado."

19:30 – Governo convoca veterinários, dentistas e outros profissionais para combater covid-19

O Ministério da Saúde publicou uma portaria nesta quinta-feira convocando cerca de 15 categorias da área de saúde para participar de uma capacitação profissional, a fim de que possam ser recrutadas para trabalhar no Sistema Único de Saúde (SUS) durante a pandemia.

O governo vai capacitar os profissionais nos protocolos clínicos oficiais de enfrentamento à pandemia de covid-19 por meio de cursos a distância. O cadastramento é obrigatório e pode ser feito pela internet. Após o preenchimento do formulário, o profissional receberá um link de acesso aos cursos de capacitação.

Os conselhos federais de cada área deverão enviar ao Ministério da Saúde os dados de seus profissionais e, por sua vez, a pasta reportará aos conselhos os respectivos profissionais que não preencheram o cadastro ou que não concluíram os cursos.

A ação abrange as áreas de serviço social, biologia, biomedicina, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia e terapia ocupacional, fonoaudiologia, medicina, medicina veterinária, nutrição, odontologia, psicologia e técnicos em radiologia.

Será criado, então, um cadastro geral de profissionais habilitados que poderá ser consultado por gestores federais, estaduais, distritais e municipais do SUS, em caso de necessidade, para orientar suas ações de enfrentamento à covid-19.

19:00 – Toronto multará em até R$ 18 mil quem andar aglomerado em parques

O prefeito de Toronto, John Tory, afirmou que qualquer cidadão que for flagrado andando a menos de 2 metros de distância de outras pessoas em parques públicos da cidade será multado em até 5 mil dólares canadenses (cerca de 18.600 reais). 

Tory classificou a medida como "uma blitz em nossos parques", afirmando que ele já advertiu a população diversas vezes sobre os riscos de aglomerações e que a desobediência precisa parar. "Os tempos de perplexidade com esse mau comportamento acabaram", disse o prefeito.

Toronto é a cidade mais populosa do Canadá, com quase 3 milhões de habitantes. Tory teme que a cidade possa enfrentar situação semelhante à de Nova York, epicentro do surto nos Estados Unidos.

O Canadá soma mais de 10 mil casos confirmados e 131 mortes por coronavírus. A província de Ontário, cuja capital é Toronto, é a segunda mais afetada, com 2.793 infecções. Contudo, é a primeira do país em número de mortos, somando 53 no total.

18:30 – Evangélicos fazem coro com Bolsonaro e negam riscos do coronavírus

Enquanto o presidente Jair Bolsonaro gosta de copiar o seu ídolo americano, Donald Trump, as igrejas neopentecostais brasileiras seguem a mesma linha sobre o novo coronavírus que os pregadores evangélicos da televisão dos EUA.

O vírus é uma estratégia de satã, anunciou Edir Macedo, fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, em um vídeo nas redes sociais. Quem nada teme não precisa se preocupar, pois o vírus nada poderá lhe fazer, acrescentou o milionário dono da Record. Já Valdemiro Santiago, o líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, considera o vírus uma vingança divina. 

Nos últimos dias, o mais agitado de todos foi Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo e tido como o guru religioso de Bolsonaro. Assim como o mandatário, Malafaia também criticou o isolamento social.

Leia o artigo completo

18:00 – Portugal fechará todos os aeroportos por cinco dias na Semana Santa

O governo de Portugal decidiu nesta quinta-feira fechar todos os aeroportos nacionais ao tráfego de passageiros durante cinco dias durante a Semana Santa, entre quinta-feira, 9 de abril, e segunda-feira, 13, para frear a pandemia da doença covid-19.

O fechamento dos aeroportos foi aprovado pelo Conselho de Ministros e faz parte do novo pacote de medidas que vai endurecer as condições do estado de emergência, prolongado pelo presidente, Marcelo Rebelo de Sousa, até 17 de abril.

"É uma medida excepcional que visa impedir que haja circulação do exterior para Portugal ou de Portugal para o exterior", explicou o primeiro-ministro português, António Costa, em entrevista coletiva em Lisboa.

O premiê ressaltou que só serão permitidos voos humanitários, de carga, aviões do Estado, militares ou de repatriamento de cidadãos portugueses que estejam em outros países.

Portugal mantém o tráfego aéreo aberto com toda a União Europeia, exceto Espanha e Itália, com os países lusófonos e com outros quatro que têm grandes comunidades portuguesas (Estados Unidos, Canadá, Venezuela e África do Sul).

17:20 – Brasil tem recorde diário de mortes, e vítimas chegam a 299

O novo balanço do Ministério da Saúde apontou mais 58 mortes por coronavírus em todo o país, um registro recorde em 24 horas desde o início do surto. O total de vítimas chega a 299.

O país soma ainda 7.910 casos confirmados de covid-19, um aumento de quase 16% em relação ao dia anterior. Na quarta-feira, eram contabilizadas 6.836 infecções e 241 mortes.

São Paulo segue sendo o estado mais afetado, com 3.506 casos e 188 mortes, segundo o ministério. O Rio de Janeiro vem em seguida, com 992 infecções e 41 mortes. Ao todo, a região Sudeste concentra 63% das ocorrências, enquanto o Nordeste, 15%, o Sul, 10%, o Centro-Oeste, 7%, e o Norte, 5%.

16:55 – Celebridades promovem doações para combater pandemia

Seguindo o exemplo de artistas estrangeiros, como o cantor Justin Bieber e o ator Leonardo Di Caprio, celebridades e empresários brasileiros têm doado parte de suas fortunas ou usado sua visibilidade para angariar fundos no combate ao novo coronavírus.

Confira aqui uma lista de famosos que lançaram iniciativas

16:25 – Mundo tem mais de 1 milhão de casos confirmados de covid-19

O número de infecções confirmadas pelo coronavírus Sars-Cov-2 ultrapassou 1 milhão em todo o mundo nesta quinta-feira, segundo contagem da Universidade Johns Hopkins. A pandemia infectou um total de 1.002.159 pessoas em 181 países e territórios, e matou 51.485.

O país com o maior número de casos confirmados são os Estados Unidos, com 234.462, seguidos da Itália, com 115.242, e da Espanha, com 110.238. A Alemanha vem em seguida, com 84.264. Todos esses países ultrapassaram a China, onde a pandemia teve início, que soma 82.432 casos.

Contudo, acredita-se que o número real de infecções seja maior em todo o mundo, já que muitos países estão testando apenas casos graves ou pacientes que necessitam de hospitalização.

15:40 – Itália tem mais de 115 mil infectados e quase 14 mil mortos

A Itália registrou mais 760 mortes por coronavírus nesta quinta-feira, elevando para 13.915 o total de vítimas no país, que possui o maior número de mortos pela doença no mundo. 

O total de casos, incluindo recuperações e mortes, é de 115.242, um aumento de 4,2% em relação ao dia anterior – na quarta, essa alta havia sido de 4,5%. As recuperações cresceram 8,5%, para 18.278, e o número de pacientes em terapia intensiva aumentou apenas 0,4%, para 4.035.

"Nos últimos dias, pelo menos desde 27 de março, temos visto aumentos diários mais baixos" no número de contágio, disse o chefe da Defesa Civil italiana, Angelo Borrelli, ao apresentar os novos dados. "Não sei dizer se começamos, estamos começando ou quando começaremos uma descida. O que posso dizer é que precisamos manter a guarda alta."

15:10 – OMS alerta que jovens e crianças também correm riscos

A Organização Mundial da Saúde (OMS) fez um alerta nesta quinta-feira de que crianças e jovens também correm o risco de ser infectados e potencialmente morrer devido ao coronavírus.

"A noção de que a 'covid-19 afeta apenas pessoas idosas' está factualmente errada", disse Hans Kluge, diretor regional da OMS na Europa, em pronunciamento pela internet.

Ele observou que de 10% a 15% dos infectados com menos de 50 anos foram atingidos pela doença de forma moderada ou severa. Na Europa, a vítima mais jovem a não resistir à infecção foi uma menina de 12 anos na Bélgica. Já os EUA relataram a morte de um bebê de seis semanas. "Idade não é o único risco de doença grave", acrescentou Kluge.

O alerta vai na contramão de um pronunciamento do presidente Jair Bolsonaro na semana passada, em que ele usou o argumento de que idosos são o grupo de risco e disse que 90% da população não apresentaria sintomas da doença se for infectada para defender a reabertura das escolas e do comércio no país.

14:40 – Rússia estende período de folga a trabalhadores até fim de abril

O presidente russo, Vladimir Putin, anunciou que decidiu prorrogar até 30 de abril a medida que ordena que a maioria dos russos deixe de trabalhar devido à pandemia de coronavírus. Em discurso na televisão, ele destacou que todos os trabalhadores devem continuar recebendo seus salários normalmente durante esse período.

Inicialmente, Putin havia anunciado uma semana de folga aos trabalhadores em um raro discurso televisionado na semana passada, como parte de uma série de medidas para ajudar a retardar a propagação do coronavírus na Rússia.

O presidente enfatizou que as estratégias de prevenção fizeram o país ganhar tempo e desaceleraram o surto, mas que o número de casos de covid-19 continua a subir. Nesta quinta-feira, a Rússia registrou 771 novas infecções em 24 horas, elevando o total para 3.548, além de 30 mortes.

"A ameaça continua", disse Putin. "E especialistas acreditam que a epidemia ainda não tenha atingido seu pico no mundo, inclusive em nosso país."

O presidente afirmou que algumas indústrias essenciais continuarão operando, e os supermercados e farmácias permanecerão abertos. Segundo ele, cabe às autoridades regionais decidir quais empresas e organizações podem continuar trabalhando, dependendo de cada situação.

14:15 – Mais da metade da população mundial está confinada

Mais de 3,9 bilhões de pessoas – mais da metade da humanidade – estão confinadas em suas casas devido à pandemia de coronavírus, segundo contagem mantida pela agência de notícias francesa AFP. Medidas de prevenção ao vírus, que incluem confinamentos obrigatórios ou recomendados, toques de recolher e quarentenas, já foram implementadas em mais de 90 países e territórios.

13:40 – Democratas adiam convenção do partido que indicará adversário de Trump

O Partido Democrata dos Estados Unidos decidiu adiar sua convenção nacional devido à pandemia de coronavírus, atrasando assim a indicação do candidato que disputará a presidência americana contra o presidente Donald Trump nas eleições em novembro.

O evento estava marcado para 13 a 16 de julho em Milwaukee, no estado de Wisconsin. O adiamento prevê que a convenção deverá ocorrer na semana de 17 de agosto. A cidade não foi alterada.

"Em nosso atual clima de incerteza, acreditamos que a abordagem mais inteligente é termos mais tempo para monitorar como essa situação se desenrola, para que possamos posicionar melhor nosso partido em uma convenção segura e bem-sucedida", afirmou Joe Solmonese, chefe do comitê da convenção nacional democrata.

A medida foi anunciada depois que o pré-candidato do partido Joe Biden pediu que a convenção fosse remarcada. A reunião democrata determinará se ele ou o senador Bernie Sanders será o adversário de Trump no pleito.

12:50 - Latam vai operar apenas 5% dos voos de passageiros em abril

A companhia aérea Latam anunciou nesta quinta-feira (02/04) que vai operar somente 5% dos voos de passageiros em abril, devido ao fechamento de fronteiras decretado por vários países para conter a disseminação do coronavírus.

A empresa, formada pela fusão da Tam e da Lan em 2012, divulgou que manterá 39 rotas domésticas no Brasil, 13 no Chile e apenas quatro internacionais. Além disso, destacou que Argentina, Colômbia, Equador e Peru, onde também opera, suspenderam até mesmo viagens aéreas internas.

O CEO da Latam, Roberto Alvo, que teve a nomeação anunciada nesta quinta-feira, explicou que a redução acompanhará as definições tomadas pelos governos do continente diante da crise provocada pela pandemia. "A medida será avaliada permanentemente, em função das restrições de viagem e da demanda", disse.

Antes da crise provocada pelo coronavírus, a Latam voava para 145 destinos em 26 países e realizada 1,4 mil voos diários. Em 16 de março, a companhia já havia anunciado a redução de 70% da operação com passageiros.

Por outro lado, como as rotas de carga não foram limitadas com o fechamento de fronteiras, a empresa informou que está aumentando em 15% a capacidade da frota cargueira, incluindo cinco novos voos semanais entre a América do Sul e os Estados Unidos.

12:30 - Ministro da Saúde de Israel é diagnosticado com coronavírus

O ministro da Saúde de Israel, Yaakov Litzman, testou positivo para o coronavírus Sars-Cov-2, forçando várias autoridades do país a entrar em quarentena, informou o governo israelense nesta quinta-feira (02/04).

Entre as autoridades com quem Litzman teve contato recentemente está o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu. Pouco depois de o diagnóstico do ministro ser anunciado, o gabinete do premiê afirmou que ele retornou para o isolamento. O líder israelense, que já testou negativo para o coronavírus, já havia se isolado após um assessor ter sido diagnosticado com covid-19.

O governo afirmou que Litzman e sua esposa, que também contraiu o vírus, estão em isolamento, se sentem bem estão recebendo tratamento.

Israel tem mais de 6,2 mil casos de covid-19 confirmados e 33 mortes, vindo logo atrás do Brasil no ranking de países com mais infecções, segundo dados da Universidade Johns Hopkins.

12:00 - Número de mortes no estado de Nova York dobra em 72 horas 

O número de mortes por covid-19 no estado americano de Nova York dobrou em 72 horas, passando de 1,9 mil na manhã desta quinta-feira (02/04). A cidade de Nova York é a mais atingida, com 1.374 mortes. Na maior cidade dos Estados Unidos, corpos se amontoam do lado de fora de hospitais superlotados.  

O número de casos ainda não atingiu o pico nos Estados Unidos, e os crematórios de Nova York já tiveram que estender o expediente, queimando corpos também durante a noite. O estado de Nova York chegou a modificar os regulamentos de qualidade do ar para permitir que os crematórios funcionem por mais horas por dia. 

"Estamos nos preparando para o pior cenário possível", disse Mike Lanotte, diretor executivo da Associação de Diretores de Funeral do Estado de Nova York. 

maioria dos nova-iorquinos opta pela cremação, mas a cidade tem apenas quatro crematórios: um no Bronx, um no Brooklyn e dois no Queens. Os diretores de dois deles disseram que a carga diária de trabalho saltou de cerca de dez para 15 corpos cremados por dia, esgotando os recursos. 

País do mundo com o maior número de infectados, os Estados Unidos já têm mais de 216 mil casos confirmados e já contabiliza mais de 5 mil mortes em decorrência da covid-19.  

Corpo é colocado em caminhão refrigerado na cidade de Nova York

Corpo é colocado em caminhão refrigerado na cidade de Nova York, onde mortes por covid-19 passam de 1,3 mil

11:30 - EUA registram 6,6 milhões de pedidos de seguro-desemprego em uma semana 

Os pedidos de seguro-desemprego nos Estados Unidos atingiram o recorde de 6,6 milhões na semana encerrada em 28 de março, quebrando o recorde pela segunda semana consecutiva. O anúncio foi feito nesta quinta-feira (02/04) pelo Departamento do Trabalho do país. O número de pessoas que haviam pedido o benefício na semana anterior também foi revisado para cima, chegando a 3,3 milhões. 

Os dados semanais superam o estimado por analistas e lançam dúvidas sobre a perspectiva de uma rápida recuperação econômica. Com cerca de 10 milhões de pessoas entrando com pedido de seguro-desemprego nas duas últimas semanas de março, a taxa de desemprego real nos EUA pode atingir dois dígitos, segundo analistas. 

Pessoas com máscara em filas nos EUA

Em duas semanas, cerca de 10 milhões de pessoas entraram com pedido de seguro-desemprego nos EUA

O Congresso americano já aprovou um pacote massivo de ajuda de 2,2 trilhões de dólares, destinado a estimular a economia. No valor, está incluída a melhoria do seguro-desemprego. 

Os Estados Unidos registram o maior número de casos de coronavírus em todo o mundo: mais de 216 mil. Além disso, o país já acumula mais de 5 mil mortes em razão da covid-19, segundo dados coletados pela Universidade Johns Hopkins. 

10:40 - Equador vive caos funerário em meio à pandemia

O governo do Equador informou nesta quarta-feira (01/04) que retirou 150 corpos que estavam em casas de Guayaquil, após o caos funerário desencadeado na cidade pela pandemia do coronavírus Sars-Cov-2. As autoridades, porém, não confirmaram quantas dessas pessoas foram vítimas de covid-19, a doença respiratória causada pelo vírus.

Uma força-tarefa conjunta militar e policial foi criada pelo governo para lidar com a emergência e retirou os corpos nos últimos três dias, informou o porta-voz Jorge Wated. Ele reconheceu as falhas do sistema funerário em Guayaquil, que fez com que médicos forenses e funerárias não conseguissem atender rapidamente aos casos de mortes nas residências em meio ao toque de recolher de 15 horas instaurado no país.

"Reconhecemos quaisquer erros e pedimos desculpas a quem teve atraso de dias para retirar seus entes queridos", disse Wated em uma mensagem transmitida em rádio e televisão.

Nos últimos dias, desesperados, moradores de Guayaquil começaram a publicar vídeos de corpos abandonados nas ruas e mensagens pedindo ajuda para enterrar seus mortos.

"Estamos trabalhando para que cada pessoa seja enterrada com dignidade em espaços individuais", disse Wated, referindo-se a um cemitério administrado pelo governo, com capacidade para cerca de 2 mil corpos.

A província de Guayas, cuja capital é Guayaquil, é uma das mais afetadas pelo coronavírus no Equador. O país registra oficialmente 2.758 casos e 98 mortes. Cerca de 70% dos infectados estão concentrados nessa região.

Wated disse que o governo enfrentará dias difíceis. "Infelizmente, os médicos especialistas estimam que pode haver de 2,5 mil a 3,5 mil mortes pela covid-19 apenas na província de Guayas. Estamos nos preparando para isso”, declarou.

10:05 - Alemanha aumenta leitos de terapia intensiva em 43%

Devido à pandemia de covid-19, os hospitais da Alemanha aumentaram o número de leitos de terapia intensiva de cerca de 28 mil para aproximadamente 40 mil, o equivalente a cerca de 43%. Entre 15 mil e 20 mil deles estão disponíveis no momento, afirmou Gerald Gass, presidente da Sociedade Hospitalar Alemã (DKG), ao jornal Rheinische Post nesta quinta-feira (02/04).

O número de leitos com ventilador aumentou de cerca de 20 mil para aproximadamente 30 mil desde o início da pandemia. Alguns dos ventiladores foram retirados de outras áreas, como salas de recuperação, e outros novos foram adquiridos, explica Gass. Em alguns casos, aparelhos desativados voltaram a ser utilizados.

Gass acredita que nas próximas duas semanas haverá aparelhos para todos os pacientes de covid-19 que precisarem de ventilação. Atualmente, cerca de 2 mil leitos estão ocupados por pacientes com a doença.

Leito de UTI na Alemanha

Alemanha aumentou número de leitos de UTI no país de 28 mil para 40 mil

Os hospitais também criaram espaço adicional para leitos não intensivos, cortando o número de internações não essenciais. A taxa de ocupação normal dos hospitais na Alemanha é entre 75 e 80%. Atualmente, cerca de 50% dos leitos estão ocupados.

Segundo dados desta quinta-feira do Instituto Robert Koch (RKI), responsável pelo controle e prevenção de doenças no país, a Alemanha tem 73.522 casos confirmados e 872 mortes. A Universidade Johns Hopkins, que atualiza os números globais do coronavírus a cada hora e também serve de referência para as estatísticas sobre a doença, aponta que a Alemanha tem mais de 78 mil infecções e 944 mortes.

08:05 – Espanha tem mais de 10 mil mortos em decorrência do coronavírus 

A Espanha chegou a 10.003 mortes por covid-19 nesta quinta-feira (02/04), após o registro de 950 óbitos nas últimas 24 horas, um novo recorde diário no país. Os dados foram divulgados pelo Ministério da Saúde espanhol. 

O número total de casos no país é de 110.238 casos, representando um aumento diário de 7,9%, o mais baixo em vários dias, mas com uma taxa de redução mais moderada. De acordo com o ministério, 6.092 pacientes estão internados em Unidades de Terapia Intensiva (UTIs), 220 a mais do que na quarta-feira. Do total de infectados, 26.743 tiveram alta e são considerados curados.  

A região com mais casos é a de Madri, com 32.155 infectados e 4.175 mortos, seguida pela da Catalunha (21.809 e 2.093) e a de Castela-Mancha (7.682 e 854).  

Dados divulgados nesta quinta-feira mostram que a crise provocada pela pandemia foi a responsável, em março, pela maior alta mensal de desempregados da história da Espanha. O número de pessoas sem emprego inscritas nos serviços públicos espanhóis aumentou em 302.265 no mês passado, alcançando um total de 3,54 milhões.  

O país é o segundo no mundo com maior número de mortos pela covid-19, ficando atrás apenas da Itália.  

07:40 – Presidente das Filipinas manda atirar em quem causar problemas durante a quarentena 

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, disse que as forças de segurança do país devem atirar em quem causar problemas em áreas com restrição de circulação devido à pandemia de coronavírusCerca de metade dos aproximadamente 110 milhões de habitantes do país estão em quarentena, milhões deles em extrema pobreza e desempregados.  

Horas antes da fala, que foi transmitida pela televisão na noite desta quarta-feira (01/04), quase duas dezenas de pessoas de uma comunidade carente da capital, Manila, foram presas por realizarem um protesto que acusava o governo de não fornecer ajuda alimentar aos pobres. 

"Minhas ordens para a polícia e os militares, e também para os oficiais nas vilas, são de que, se houver problemas ou surgir uma situação em que as pessoas desobedeçam e as suas vidas estejam em risco, atirem para matar", disse Duterte. "Em vez de causar problemas, eu as mandarei para o túmulo", disse o presidente. 

As Filipinas registram 2.311 infecções por coronavírus e 96 mortes. Mas o país intensificou apenas agora os testes, o que deve fazer com que o número de infectados siga aumentando. 

Os comentários do presidente foram repreendidos imediatamente por grupos de direitos humanos, que pediram ao governo que forneça os suprimentos necessários, em vez de fazer ameaças violentas. "É profundamente alarmante que o presidente Duterte tenha estendido uma política de atirar para matar. Força mortal e não controlada nunca deve ser um método para responder uma emergência como a pandemia de covid-19", disse a Anistia Internacional nas Filipinas em comunicado. 

O chefe da polícia nacional das Filipinas, Archie Gamboa, disse nesta quinta-feira (02/04) que os policiais não começariam a atirar. "Provavelmente, o presidente enfatizou demais a implementação da lei em tempos de crise"justificou. 

Duterte fala em púlpito, com camisa de manga curta estampada.

Duterte foi criticado por entidades de direitos humanos

07:00 – Austrália terá creches gratuitas por seis meses 

A Austrália anunciou nesta quinta-feira (02/07) que creches serão gratuitas por seis meses, como parte de uma tentativa para manter algumas empresas operando durante a pandemiaSegundo dados preliminares, as medidas de contenção adotadas pelo governo indicam sinais precoces de que a curva de contaminação está achatando. A Austrália registrou cerca de 5,2 mil infecções e 25 mortes. 

De acordo com o primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, o subsídio de 1,6 bilhão de dólares manterá cerca de 13 mil creches abertas. O valor se soma ao pacote de apoio de cerca de 121 bilhões de dólares do governo para tentar fazer "hibernar" a economia até a crise passar. Após seis meses, o subsídio das creches será reavaliado. 

Manter os centros infantis abertos também permitirá que profissionais como os da área da saúde, de limpeza e de distribuição de alimentos continuem trabalhando, reforçou Morrison. 

As restrições adotadas pela Austrália devem levar a economia do país à primeira recessão em quase três décadas e dobrar o índice de desemprego.  

Infografik Flattening the curve PT

05:50 – Estados Unidos ultrapassam marca de 5 mil mortes por covid-19 

De acordo com dados da universidade americana Johns Hopkins, os Estados Unidos já contabilizam mais de 5 mil mortes em decorrência da doença respiratória covid-19, causada pelo coronavírus Sars-Cov-2. Nesta quinta-feira (02/04), o número total de óbitos era de 5.137 e de infecções, de 216.722. Nova York é a cidade com o maior número de mortos (1.374). Na quarta-feira, o país registrou 884 mortes, um novo recorde diário. Em apenas 24 horas, foram 25.200 novas infecções.  

A Casa Branca prevê que o coronavírus pode deixar entre 100 mil e 240 mil mortos, mesmo com as medidas de contenção, e alertou que o número pode chegar a até 2,2 milhões se nada for feito para combater o vírus. 

Até agora, pelo menos 34 dos 50 estados do país, além de Porto Rico e o Distrito de Columbia (onde fica a capital, Washington), promulgaram decretos para forçar os cidadãos a ficarem em casa, o que significa que aproximadamente 89% da população dos EUA (cerca de 291 milhões de pessoas) está isolada. 

Na quarta-feirao governo americano anunciou que não poderá retomar a atividade econômica no domingo de Páscoa (12/04), como havia planejado, e que será necessário esperar pelo menos até o fim do mês (30/04) 

05:10 – Supermercados da Áustria distribuem máscaras aos clientes 

Na Áustria, os supermercados começaram a distribuir máscaras protetoras aos seus clientes. O objetivo é que as pessoas estejam preparadas para a entrada em vigor na próxima segunda-feira de uma nova regra, que obriga que clientes desses estabelecimentos usem máscaras (que podem ser de fabricação própria).   

A preocupação é que a nova medida agrave ainda mais a escassez de máscaras para profissionais da área da saúde. Além disso, máscaras simples não protegem o usuário, mas o ambiente ao redor, o que pode provocar uma falsa sensação de segurança. 

Nesta quarta-feira, devido à escassez do produto, somente algumas lojas da capital, Viena, conseguiram fazer a distribuição.  

Funcionários de supermercados distribuem máscaras na Áustria

Funcionários de supermercados distribuem máscaras na Áustria

04:30 – MP permite cortes de até 70% do salário e suspensão de contratos

Para diminuir efeitos negativos na economia por pandemia do coronavírus, o governo federal brasileiro anunciou na noite desta quarta-feira (01/04) que enviará ao Congresso medida provisória (MP) que autoriza que empresas suspendam totalmente contratos ou reduzam jornadas de trabalho e salários durante a crise provocada pela pandemia de coronavírus. 

As reduções podem chegar a 70% e têm prazo máximo de 90 dias. Contratos poderão ser suspensos por até dois meses. Os funcionários afetados receberão uma compensação do governo, que pode chegar até 100% do seguro-desemprego que eles receberiam em caso de demissão.  

A medida foi divulgada pelo secretário especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Bruno Bianco. O objetivo é diminuir efeitos econômicos da pandemia do novo coronavírus.  

Por meio de negociações individuais ou coletivas, o empregador poderá combinar a suspensão do contrato de trabalho com os empregados por até 60 dias (dois meses), com direito a receber seguro-desemprego. Segundo a equipe econômica, o governo gastará 51,2 bilhões de reais com o programa. 

Leia a notícia completa
00:00 - Resumo dos principais acontecimentos de quarta-feira (01/04):

  • Bolsonaro sanciona auxílio de R$ 600 a informais
  • Número de infecções na China volta a subir
  • Casos confirmados na Espanha passam de 100 mil
  • Alemanha prolonga restrições de contato até 19 de abril 
  • COP26, em Glasgow, é adiada

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 
App | Instagram | Newsletter

Leia mais