Arqueólogos descobrem oito múmias no Egito | Cultura europeia, dos clássicos da arte a novas tendências | DW | 18.04.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Cultura

Arqueólogos descobrem oito múmias no Egito

Múmias são encontradas em tumba de 3,5 mil anos que pertencia a magistrado da 18ª dinastia. No local, havia ainda diversos sarcófagos de madeira coloridos e mais de mil estatuetas funerárias.

Múmias estavam em sarcófagos de madeira

Múmias estavam em sarcófagos de madeira

Arqueólogos egípcios descobriram oito múmias, diversos sarcófagos de madeira coloridos e mais de mil estatuetas funerárias numa tumba de 3,5 mil anos, localizada próxima a cidade Luxor, no sul do Egito.

"Foi uma surpresa o quanto foi encontrado lá dentro. Essa é uma importante descoberta", afirmou nesta terça-feira (18/04) o ministro de Antiguidades do Egito, Khaled al-Anani.

A tumba da 18ª dinastia foi descoberta na necrópole de Draa Abul Nagaa, localizada próximo ao Vale dos Reis, e aparentemente pertencia a Userhat, um magistrado que trabalha como juiz da cidade. Segundo o arqueólogo Mostafa Waziri, a tumba foi aberta cerca de 500 anos depois pela 21ª dinastia para receber mais múmias.

Dez sarcófagos foram descobertos na tumba

Dez sarcófagos foram descobertos na tumba

Inicialmente, autoridades haviam anunciado a descoberta de apenas seis múmias, mas depois mais duas foram encontradas. "Há dez sarcófagos e oito múmias", ressaltou Waziri. A maioria dos sarcófagos está bem conservada, mas alguns estão deteriorados e quebrados.

Arqueólogos esperam localizar mais múmias no local, pois há pelo menos uma sala que já foi descoberta, mas ainda não foi explorada pelos pesquisadores. Para abrir a tumba, os arqueólogos precisaram remover quase 450 metros de destroços.

Tumba tinha mais de mil estatuetas funerárias

Tumba tinha mais de mil estatuetas funerárias

A tumba consiste num pátio aberto que conduz a um salão retangular, um corredor e uma câmara interna. Escavações estão sendo realizadas numa segunda câmara.

A necrópole está localizada numa região onde faraós egípcios famosos, incluindo Tutancâmon, foram enterrados. 

Anani disse que espera que a descoberta atraía mais turistas ao país. O turismo no Egito foi afetado pelos protestos que derrubaram o então presidente Hosni Mubarak em 2011 e diversos atentados terroristas que ocorreram no país nos últimos anos.

CN/dpa/afp/rtr

Leia mais