Aliado de Merkel planeja deixar governo da Baviera | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 03.12.2017
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Aliado de Merkel planeja deixar governo da Baviera

Horst Seehofer, líder da CSU, deixará cargo antes da eleição regional de 2018, mas vai se manter como chefe do partido. Decisão abre caminho para a candidatura do principal rival interno, Markus Söder.

default

Seehofer saiu enfraquecido da eleição e das negociações fracassadas para a formação de um novo governo

O governador da Baviera, Horst Seehofer, influente aliado conservador da chanceler federal Angela Merkel, está disposto a deixar o cargo antes da eleição regional de 2018, de acordo com a imprensa alemã, que citou fontes próximas ao político.

De acordo com essas fontes, Seehofer deixaria o caminho aberto para um sucessor já no primeiro trimestre do próximo ano. Apesar dos planos de deixar o governo, o político pretende manter sua posição como chefe da União Social Cristã (CSU), aliada bávara da União Democrata Cristã (CDU), o partido de Merkel. Segundo a imprensa alemã, é esperado que Seehofer faça um anúncio oficial nesta segunda-feira (04/12).

A decisão de Seehofer foi tomada num momento de grande incerteza política na Alemanha. Há duas semanas naufragaram as tentativas de Merkel de formar uma nova coalizão de governo com os liberais e os verdes. Seehofer foi um dos mais influentes aliados da chanceler nessas negociações. Com o fracasso das conversações, a Alemanha arrisca ter que convocar uma nova eleição federal, a não ser que os atuais parceiros de coalizão, os social-democratas, mudem de ideia sobre passar para a oposição e resolvam ficar no governo. 

A última eleição também teve um efeito devastador para o influente Seehofer, que viu parte do seu capital político erodir quando a CSU obteve 38,8% dos votos na Baviera – o pior resultado da legenda desde a eleição de 1949.

O eleitorado do partido encolheu mais de dez pontos percentuais em relação às eleições de 2013. A perda de votos coincidiu com o crescimento dos populistas de direita do partido Alternativa para a Alemanha (AfD) e o aumento da preocupação de muitos eleitores com a chegada de mais de 1 milhão de refugiados à Alemanha entre 2015 e 2016.

O temor de que a CSU voltasse a ser castigada pelos eleitores, desta vez nas eleição regional de 2018, deu início, nas últimas semanas, a uma luta pelo poder no comando da legenda. O principal rival de Seehofer pela chefia do partido é o ministro das Finanças da Baviera, Markus Söder.

Seehofer, de 68 anos, governa a rica região do sul da Alemanha com uma maioria absoluta pelos últimos nove anos.

JPS/dpa

___________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | App

 

 

Leia mais