Alemanha tem novo recorde de mortes por covid-19 | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 08.01.2021

Conheça a nova DW

Dê uma olhada exclusiva na versão beta da nova DW. Sua opinião nos ajudará a torná-la ainda melhor.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Coronavírus

Alemanha tem novo recorde de mortes por covid-19

Números do novo coronavírus voltam a subir em níveis alarmantes, com 1.188 mortes e mais de 31 mil novas infecções registradas em 24 horas. Reino Unido e Portugal também batem recorde de mortes em um dia.

Médico em UTI na Alemanha

Elevado número de casos de covid-19 pressiona sistema de saúde alemão

A contagem diária de infecções e mortes ligadas ao coronavírus na Alemanha voltou a atingir novos patamares nesta sexta-feira (08/01). O Instituto Robert Koch (RKI), a agência governamental de controle e prevenção de doenças, registrou 1.188 mortes em 24 horas, o maior número de óbitos registados no país em um dia. O total de casos diários foi de 31.849, uma das cifras mais altas já contabilizadas na Alemanha.

Entretanto, o RKI afirma que a falta de testagem durante os feriados do Natal e Ano Novo ainda deve ter impacto sobre os números diários. A chanceler federal, Angela Merkel, afirmou que a verdadeira taxa de infecção no pais somente será esclarecida após o dia 17 de janeiro.

O recorde anterior de mortes diárias era de 1.129, registrado em 30 de dezembro. O maior número de infecções diárias foi contabilizado em 18 de dezembro, com 33.777 casos, que incluíam, no entanto, 3.500 computados com atraso. 

Até o momento, mais de 1,8 milhão de pessoas foram infectadas pelo coronavírus no país e 38.795 morreram em decorrência da doença. A taxa média de incidência da doença em um período de 7 dias estava nesta sexta-feira em 136,5 por 100 mil habitantes.

Lockdown e vacinação

Os governos federal e estaduais trabalham para fazer valer as restrições impostas pelo lockdown no país, de modo a reduzir esse índice para menos de 50. Em algumas das regiões mais atingidas, principalmente no leste do país, o índice chega a ser superior a 400 ou 500.

Os distritos com mais de 200 infecções por 100 mil habitantes em 7 dias são considerados áreas de alto risco, e seus moradores devem ser proibidos de se deslocarem a distâncias superiores a 15 quilômetros de seus locais de residência, segundo as novas regras definidas nesta semana. Essa medida, porém, enfrenta resistência por parte de alguns governos estaduais.

Segundo pesquisa de opinião realizada pela emissora ARD e divulgada nesta quinta-feira, a disposição dos alemães a se vacinar contra a covid-19 aumentou: 54% afirmaram que se vacinarão de qualquer maneira, 17 pontos percentuais a mais do que em novembro passado. Outros 21% disseram que provavelmente se vacinarão. A vacinação no país e na Europa teve início em 27 de dezembro.

Reino Unido e Portugal

Além da Alemanha, Reino Unido e Portugal também bateram na sexta-feira seus recordes de mortes pela covid-19.

No Reino Unido, foram registradas 1.325 novas mortes, superando o pico anterior que havia sido atingido abril de 2020. Também foram contabilizados cerca de 68 mil novos casos. Desde o início da pandemia, os britânicos registram 2,9 milhões de casos e 78,6 mil mortes.

"Nossos hospitais nunca estiveram sob tanta pressão desde o início da pandemia, e as taxas de infecção em todo o país seguem aumentando em ritmo alarmante", disse o primeiro-ministro Boris Johnson.

O Reino Unido foi o primeiro país a aprovar o uso das vacinas de Pfizer/Biontech e da AstraZeneca, e nesta sexta-feira também aprovou o uso do imunizante da Moderna, com a expectativa de iniciar a aplicá-la durante a primavera do hemisfério norte.

Em Portugal, foram 118 mortes e 10,2 mil casos registrados na sexta-feira, também um recorde. O pico anterior, de 98 óbitos, havia sido alcançado em 13 de dezembro. Desde março, o país acumula 466 mil casos, dos quais quase 100 mil estão ativos, e 7.590 óbitos.

O governo português aprovou na sexta-feira a extensão do toque de recolher durante o fim de semana (das 13h às 5h do dia seguinte) para quase todo o país, e vai proibir viagens injustificadas entre municípios neste sábado e domingo.

RC/BL/dpa/epd/ard/efe/rts

Leia mais