1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Mão segura um celular que mostra o símbolo do aplicativo Telegram
Telegram é uma das plataformas utilizadas para divulgação de notícias falsas e teorias de conspiraçãoFoto: Thomas Trutschel/photothek.de/Imago Images
SociedadeAlemanha

Alemanha pune usuários do Telegram por fake news

Wesley Dockery
9 de fevereiro de 2022

Autoridades bloqueiam canais de negacionista da pandemia foragido. Operação apreende material de suspeito de disseminar mensagens antissemitas e de negação do Holocausto.

https://www.dw.com/pt-br/alemanha-pune-usu%C3%A1rios-do-telegram-por-fake-news/a-60717988

A Alemanha está punindo operadores de canais do aplicativo de mensagens que espalhem teorias da conspiração sobre o coronavírus e conteúdo antissemita Telegram.

Vários canais pertencentes ao teórico da conspiração e negacionista da pandemia Attila Hildmann foram bloqueados nesta quarta-feira (09/02) por “violarem as leis locais”. Segundo a revista Der Spiegel, as restrições só afetam os usuários da Alemanha.

Hildmann, que ganhou fama como chefe de cozinha vegano, já era notório por convocar seus seguidores ao uso da violência contra o Estado alemão, além de fazer numerosas declarações antissemitas. Depois que um mandado de prisão foi emitido contra ele, o ativista de direita de 40 anos fugiu da Alemanha para a Turquia em 2021.

Batida no sul da Alemanha

Em Rosenheim, no estado da Baviera, sul da Alemanha, a polícia fez uma batida nesta quarta-feira na casa e escritório de um suspeito de espalhar conteúdo antissemita na plataforma.

Os agentes acreditam que desde 2021 o homem de 59 anos publicou conteúdos de incitação ao ódio e disseminação de teorias da conspiração em pelo menos 45 ocasiões

Ele operava um canal do Telegram com mais de 800 participantes, onde, por exemplo, eram divulgadas teorias negacionistas do Holocausto. Em sua casa foram apreendidos discos rígidos. Um porta-voz da polícia informou que o suspeito cooperou com as autoridades e concordou em ser levado para a delegacia.

As medidas ocorrem poucos dias depois de a ministra do Interior alemã, Nancy Faeser, ter se reunido com executivos do Telegram.