1. Pular para o conteúdo
  2. Pular para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Aeroporto de Frankfurt
Novas regras valem a partir da zero hora deste domingoFoto: picture-alliance/dpa/A. Arnold

Alemanha flexibiliza regra para entrada de brasileiros

20 de agosto de 2021

Brasileiros que receberam imunizante da Pfizer, AstraZeneca ou Janssen poderão viajar ao país europeu para visitas ou turismo. Em outros casos, continua sendo necessário comprovar extrema necessidade para entrada.

https://www.dw.com/pt-br/alemanha-flexibiliza-regra-para-entrada-de-brasileiros/a-58936169

O Instituto Robert Koch (RKI), a agência governamental alemã para o controle e prevenção de doenças infecciosas, informou nesta sexta-feira (20/07) que o Brasil terá seu status rebaixado de "área com variantes do vírus" para "área de alto risco de covid-19", a partir da zero hora deste domingo.

Isso significa que pessoas que estão no Brasil e completamente vacinadas com algum dos imunizantes aprovados para uso na União Europeia (UE) poderão viajar para a Alemanha para visitas e turismo, segundo alguns critérios.

Estão nessa lista as vacinas da Pfizer-BioNTech, AstraZeneca e Janssen (Johnson&Johnson), aplicadas no Brasil, e a da Moderna, não utilizada no território brasileiro.

Para quem tiver sido vacinado com a Coronavac ou não estiver completamente vacinado, continua sendo necessário comprovar "extrema necessidade" para entrar no território alemão.

A inclusão da Coronavac na lista de vacinas aceitas pela Alemanha ainda está em discussão. A Embaixada da Alemanha no Brasil informa que "uma ampliação abrangendo outras vacinas com um padrão de proteção comparável está prevista assim que os testes necessários forem concluídos".

Até a meia-noite deste sábado, quando o país ainda será considerado "área de variantes do vírus", pessoas no Brasil só podem viajar para a Alemanha se comprovarem extrema necessidade, independente de estarem vacinadas com imunizantes aprovados na UE ou não. Além disso, todos precisam fazer quarentena de 14 dias, sem possibilidade de encurtá-la.

Regras para quem recebeu vacina aprovada na UE

A partir de domingo, pessoas que estiverem completamente vacinadas com os imunizantes aprovados para uso na UE podem viajar para a Alemanha para visitas e turismo e não precisam fazer quarentena ao chegar no território alemão.

O governo alemão considera alguém completamente vacinado 14 dias após a aplicação da segunda dose (ou da dose única, no caso da Janssen). O certificado de vacinação deve ser apresentado nos idiomas alemão, inglês, francês, italiano ou espanhol.

Aqueles que tiveram covid-19 e se recuperaram podem ser considerados completamente vacinados após terem recebido apenas uma dose da vacina. Nesses casos, também é necessário comprovar que houve uma infecção pelo coronavírus antes da vacinação, com um teste PCR positivo, apresentado nos idiomas alemão, inglês, francês, italiano ou espanhol.

Todas as pessoas precisam apresentar um teste contra a covid-19 com resultado negativo antes de viajar para a Alemanha. Para testes PCR, ele deve ser realizado em até 72 horas antes da hora de entrada no território alemão. Para testes rápidos de antígeno, o prazo é de 48 horas. Também é necessário realizar oregistro digital de entrada online.

Mais detalhes podem ser encontrados na página da Embaixada da Alemanha no Brasil.

Regras para vacinados com Coronavac ou não imunizados

As pessoas que tiverem sido vacinadas com a Coronavac ou que não estão completamente vacinadas só podem entrar na Alemanha vindo do Brasil em caso de extrema necessidade.

A restrição não se aplica a cidadãos alemães, cidadãos de países da UE e pessoas com residência legal na Alemanha, assim como aos seus familiares.

São considerados casos de extrema necessidade viagens de trabalhadores e pesquisadores do setor de saúde, trabalhadores altamente qualificados que não podem trabalhar de forma remota e trabalhadores do setor agrícola.

Também estão nessa lista estudantes de cursos que não possam ser ministrados de forma remota e pessoas que precisam de proteção humanitária, entre outros casos previstos no site do Ministério do Interior alemão.

bl/ek (ots)