Alemanha condena dois homens à prisão por saudação nazista | Notícias sobre política, economia e sociedade da Alemanha | DW | 14.09.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Alemanha

Alemanha condena dois homens à prisão por saudação nazista

Ambos participaram de manifestações de extrema direita na cidade de Chemnitz, no leste do país. Um deles ficará em liberdade condicional. Outro recebe pena de cinco meses na cadeia.

Protesto de extrema direita em Chemnitz

Manifestações em Chemnitz atraíram milhares de pessoas

Dois homens foram condenados a até oito meses de prisão por fazerem a saudação nazista em manifestações de grupos de extrema direita na cidade de Chemnitz, no leste da Alemanha. O gesto é proibido pela legislação alemã.

Nesta sexta-feira (14/09), o tribunal distrital de Chemnitz condenou um homem de 34 anos a cumprir cinco meses de detenção pela "utilização de símbolos de organizações anticonstitucionais".

O homem fez a saudação nazista diversas vezes durante uma manifestação em 27 de agosto convocada pelo movimento extremista Pro Chemnitz. Ele já tinha passagem pela polícia por diversas ocorrências anteriores, incluindo agressão, um dos motivos pelos quais a corte decidiu que não cabe liberdade condicional.

O veredicto foi conhecido menos de 24 horas depois da condenação, nesta quinta-feira, de um homem de 33 anos. Ele recebeu pena de oito meses de prisão e uma multa de 2 mil euros, com direito a liberdade condicional. Além de ter feito a saudação nazista, o homem também foi punido por agressão a policiais e tentativa de agressão física. Os promotores do caso contestaram a decisão, pois demandavam pena de um ano de prisão sem condicional.

O homem contestou as acusações perante o tribunal, afirmando que tinha levantado o braço apenas para se despedir de seus colegas. Quatro policiais do estado de Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental compareceram ao julgamento como testemunhas e corroboraram as acusações.

Ambos os julgamentos foram realizados de forma acelerada, após uma série de protestos contra a política de refugiados do governo alemão ocorrerem em Chemnitz no fim de agosto, com participação da extrema direita.

Os ânimos na cidade se acirraram com a morte de um cidadão alemão durante uma briga na cidade. Três requerentes de refúgio são acusados pelo crime.

Convocados por organizações de extrema direita e grupos anti-imigração, os protestos atraíram milhares de pessoas, em grande parte apoiadores do partido populista de direita Alternativa para a Alemanha (AfD) e do movimento Pegida (sigla em alemão para "Patriotas europeus contra a islamização do Ocidente"). Manifestantes perseguiram e atacaram pessoas que aparentavam ser estrangeiras durante os protestos, segundo testemunhas.

Na cidade de Köthen, também no leste alemão, manifestantes entoaram cânticos e palavras de ordem nazistas no último domingo, durante uma marcha de luto pela morte de um homem após uma briga com imigrantes afegãos.

A chanceler alemã, Angela Merkel, lamentou as mortes em Chemnitz e em Köthen e afirmou que os responsáveis devem ser punidos. Ela disse compreender que muitas pessoas estejam revoltadas por supostos crimes cometidos por imigrantes, mas condenou o uso de expressões nazistas e os ataques a estrangeiros.

PJ/dpa/afp

_______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube | WhatsApp | 

App | Instagram | Newsletter

Leia mais