A menina de origem judaica abraçada por Hitler | Notícias internacionais e análises | DW | 16.11.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Mundo

A menina de origem judaica abraçada por Hitler

Foto de 1933 mostra ditador nazista ao lado de garota de seis anos de idade cuja avó era judia. Imagem, que traz dedicatória assinada por Hitler, foi arrematada em leilão por mais de 11,5 mil dólares.

Foto em preto e branco mostra Bernhardine Rosa Nienau sendo abraçada por Adolf Hitler em 1933

Bernhardine "Rosa" Nienau com Adolf Hitler em 1933

Uma fotografia mostrando Adolf Hitler abraçando uma menina de origem judaica foi vendida em um leilão nesta semana por 11.520 dólares.

Segundo noticiou o jornal The Washington Post, a imagem, em preto e branco, feita por Heinrich Hoffmann, fotógrafo pessoal do ditador, traz uma dedicatória de Hitler, em tinta azul escura, e o mostra sorrindo enquanto abraça Rosa Nienau, em 1933 em Berghof, seu retiro nas montanhas.

"À querida e apreciada Rosa Nienau. Adolf Hitler, Munique, 16 de junho de 1933", diz a inscrição.

O jornal informa que a imagem foi usada como propaganda em um momento em que o líder nazista era apresentado ao mundo como uma figura gentil e simpática.

A casa de leilões Alexander Historical Auctions, da cidade de Chesapeake, no estado americano de Maryland, vendeu a foto nesta terça-feira. Não se sabe como a imagem chegou à casa de leilões, e a identidade de seu comprador não foi revelada.

A casa de leilões afirmou que pesquisas revelaram que Hitler tomou conhecimento da origem judaica da menina, mas optou por ignorá-la. Nienau, com cerca de seis anos de idade quando a foto foi tirada, tinha uma avó judia, o que, segundo as leis nazistas, fazia com que a menina fosse "um quarto judia". 

Ela teria ido com a mãe ao retiro de Hitler para celebrar o aniversário do ditador e provavelmente sido escolhida para conhecê-lo pelo fato de ambos fazerem aniversário no mesmo dia, 20 de abril. Eles teriam criado uma conexão, tendo se encontrado várias vezes depois e se correspondido durante cinco anos, até 1938.

De acordo com o livro Hitler's Alpine Headquarters (o quartel-general alpino de Hitler), de James Wilson, um dos assistentes de Hitler descobriu as raízes da jovem e proibiu que ela e sua mãe visitassem o retiro.

Mas Hitler não soube disso e depois de um tempo, ele se perguntou o que acontecera com a sua criança favorita. Ele teria descoberto mais tarde que ela fora impedida de entrar na propriedade e não teria ficado satisfeito com o fato, segundo o livro. Nienau morreu de pólio dez anos depois do encontro com o ditador nazista, em 1943.  

Após a ascensão de Hitler e dos nazistas ao poder, judeus começaram a ser perseguidos. A chamada "Noite dos Cristais", em 1938, marcou o início do Holocausto, que resultou na morte de seis milhões de judeus.

Esta não foi a primeira vez que a casa de leilões de Maryland negociou itens relacionados a Hitler. Em fevereiro de 2017, um telefone de propriedade do ditador nazista foi vendido em leilão por 243 mil dólares.

MD/ap/ots

______________

A Deutsche Welle é a emissora internacional da Alemanha e produz jornalismo independente em 30 idiomas. Siga-nos no Facebook | Twitter | YouTube 

WhatsApp | App | Instagram | Newsletter

Leia mais