1983: Reeleição de Margaret Thatcher | Fatos que marcaram o dia | DW | 09.06.2018
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages
Publicidade

Calendário Histórico

1983: Reeleição de Margaret Thatcher

Em 9 de junho de 1983, o Partido Conservador, liderado pela primeira-ministra Margaret Thatcher, obtinha uma vitória esmagadora nas urnas do Reino Unido, impulsionada pela vitória na Guerra das Malvinas.

Em 1979, aproveitando uma vantagem de 43 cadeiras no Parlamento sobre o Partido Trabalhista, o Partido Conservador do Reino Unido elegeu Margaret Hilda Thatcher para o cargo de primeira-ministra. Ela foi a primeira mulher a ocupar a chefia de governo em Londres, marcando o começo de uma nova era, que entrou para a história como "thatcherismo".

Quatro anos mais tarde, no dia em que foi reeleita, em 9 de junho de 1983, os britânicos enfrentavam vários problemas. A Câmara Alemã de Comércio em Londres havia divulgado o seguinte boletim, um mês antes da votação:

"O salário líquido médio de um trabalhador diminuiu 4% em relação a 1979, enquanto o custo de vida aumentou 3%. O número de desempregados supera os 3 milhões." Beneficiadas pela "revolução thatcheriana" – como alguns definiam as ações do seu governo – foram as classes média e alta.

Salva pelas Malvinas

A filosofia da "Dama de Ferro" era desmembrar as competências do Estado. Em vez de intervenção estatal, corporativismo e bem-estar social, deveriam prevalecer a economia de mercado, a iniciativa privada, assim como a livre iniciativa e responsabilidade própria.

Muitos britânicos consideravam Thatcher uma das personagens mais insensíveis da história da Inglaterra. Sua trajetória política estava seriamente ameaçada em 1982, quando gozava da simpatia de apenas 25% da população. Graças à invasão fracassada da Argentina nas Ilhas Malvinas, seu prestígio cresceu no Reino Unido, a ponto de ela passar a ser considerada "heroína da nação".

A reconquista das Falklands, nome britânico das ilhas, a salvou da derrota praticamente certa nas urnas. Com uma folga de 188 mandatos sobre a oposição trabalhista, os conservadores a reelegeram à chefia de governo em 9 de junho de 1983.

Seu terceiro e último mandato começou em 1987. Em junho de 1990, no entanto, as críticas tanto da sociedade como do próprio partido eram tamanhas, que Thatcher renunciou, dando então lugar a John Major.

Leia mais