1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Angola Polizeipatrouille in Cabinda
Foto de arquivo.Foto: picture-alliance/abaca

Separatistas reivindicam morte de 19 soldados angolanos

Lusa
10 de agosto de 2022

As Forças Armadas de Cabinda (FLEC-FAC) anunciam que 19 combatentes das Forças Armadas Angolanas (FAA) foram mortos em confronto com a guerrilha cabindesa, que perdeu também um homem.

https://p.dw.com/p/4FMtj

O comunicado assinado pelo Comandante das Forças Armadas de Cabinda (FAC) refere que uma viatura militar das FAA foi atacada, na noite de terça-feira para quarta-feira, por combatentes cabindenses na estrada que liga as vilas de Buco-Zau e Dinge, fazendo 12 mortos e vários feridos do lado das forças angolanas.

Esta manhã, na picada que conduz à aldeia de Chimbanza, região  de Necuto, sete soldados das FAA que patrulhavam a zona foram mortos num confronto em que as FAC perderam também um combatente.

DR Kongo Cabassango-Platz, Cabinda
A província de Cabinda (Foto de arquivo).Foto: Simão Lelo/DW

Últimas mortes na região

A última notícia que dava conta de mortes na região data de junho, quando a organização independentista do enclave angolano de Cabinda comunicou a morte de dois civis num ataque das FAA a uma posição das FAC.

A FLEC mantém há vários anos uma luta pela independência do território, de onde provém grande parte do petróleo angolano. O movimento considera que o enclave era um protetorado português, tal como ficou estabelecido no Tratado de Simulambuco, assinado em 1885, e não parte integrante do território angolano.

Governo angolano não confirma a existência de mortes entre o seu exército no território., que considera nacional.

Cabinda: "Medo, isso é coisa do passado!"

Saltar a secção Conteúdo relacionado