RCA: Angola reitera apoio total às instituições legítimas do país | Angola | DW | 27.12.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

RCA: Angola reitera apoio total às instituições legítimas do país

Ministro angolano das Relações Exteriores exortou atores políticos a cessar hostilidades e trabalhar para garantir "condições favoráveis à realização de eleições credíveis, inclusivas, pacíficas e transparentes".

A posição foi expressa no sábado (26.12), véspera das eleições na República Centro-Africana (RCA), pelo chefe da diplomacia angolana, Téte António, que discursava em representação do Presidente de Angola, João Lourenço, na cimeira extraordinária virtual da conferência dos chefes de Estado e de Governo da Comunidade Económica dos Estados de África Central (CEEAC). 

Téte António frisou que a cimeira foi realizada num momento "muito difícil" para o povo da RCA, devido às ameaças à paz e segurança, provocadas pelos novos atraques de grupos armados.

O ministro angolano das Relações Exteriores lançou um apelo à vontade coletiva da comunidade internacional, continental e regional, para que se solidarize com a situação atual da RCA.

Segundo Téte António, Angola acompanha com muita preocupação os últimos desenvolvimentos sobre a situação política, de segurança e humanitária que afetam a população civil e as ameaças à realização das eleições presidenciais e legislativas deste domingo.

"Exortamos todos os atores políticos para cessarem todas as hostilidades urgentemente, e a trabalharem em conjunto para garantir as condições favoráveis à realização de eleições credíveis, inclusivas, pacíficas e transparentes", referiu o governante angolano.

O chefe da diplomacia angolana reiterou que "as eleições continuam a ser a única via legítima de acesso ao poder em conformidade com a Constituição da RCA e com as normas e princípios internacionais, continentais e regionais".

Angola exortou ainda as partes para que resolvam qualquer diferendo de forma pacífica, no interesse do povo centro-africano, "que sofre há muito tempo devido ao conflito e instabilidade".

"Apelamos, assim, à calma e à contenção da população e aos atores políticos, no sentido de trabalharem para a plena implementação do Acordo Político para a Paz e a Reconciliação (APPR-RCA), com vista a garantir ao povo centro-africano o seu direito soberano ao voto", disse.

Na qualidade de presidente da Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos, Angola apoia a CEEAC e a Missão Multidimensional integrada das Nações Unidas para a Estabilização da República Centro Africana (MINUSCA), bem como os demais parceiros da RCA, no âmbito da cooperação bilateral e multilateral no sentido de encontrar uma saída imediata do conflito e garantir a realização das eleições neste país, nos prazos constitucionalmente estabelecidos.

Leia mais