Quatro trabalhadores mortos em mina na África do Sul | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 08.12.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Quatro trabalhadores mortos em mina na África do Sul

Os corpos de quatro mineiros da mina de Tau Lekoa, na África do Sul, foram resgatados este domingo (08.12). Os trabalhadores estavam presos na mina deste a sexta-feira (06.12).

Além das quatro mortes, um outro trabalhador mineiro ficou gravemente ferido no incidente.

Rocha caíram na mina de ouro Tau Lekoa - na cidade de Orkney, na província de Noroeste na África do Sul - prendendo os cinco trabalhadores no subsolo, segundo informações divulgadas pela empresa e por um sindicato mineiro.

Segundo a plataforma sul-africana de notícias "News24", os mineiros ficaram presos a mais de 1.300 metros de profundidade. Mais de 100 pessoas estiveram envolvidas na tentativa de resgate, mas os esforços foram dificultados pelo volume de rochas que haviam caído e pela ameaça de colapsos adicionais.

O sindicato da categoria, a União Nacional dos Trabalhadores Mineiros (NUM, na sigla em inglês), criticou fortemente a empresa de mineração, ao declarar que "não havia rota de fuga na área de trabalho onde os quatro os mineiros foram encontrados mortos".

Assistir ao vídeo 03:03

A divisão entre ricos e pobres na África do Sul

O sindicato também disse no comunicado que a equipe de protótipos da mina - um grupo de trabalhadores treinados para realizar resgates subterrâneos - não agiu com rapidez suficiente para salvar os quatro mineiros e "deliberadamente impediu que os líderes das equipas e os pilotos dos guinchos salvassem os quatro trabalhadores."

A NUM não apresentou provas, mas disse que tinha sido informada pelos membros que trabalham na mina e que estavam presentes durante o incidente.

A empresa de mineração Village Main Reef, disse que não iria comentar sobre os procedimentos de evacuação até que uma investigação seja concluída.

"Houve dois eventos sísmicos e, então, ocorreu a queda da rocha", acrescentou James Duncan, porta-voz da mina.

Já o porta-voz da NUM, Livhuwani Mammburu, disse que o colapso seguiu um "evento sísmico de magnitude 2.6".

"Traga-nos oxigénio"

De acordo com o presidente da União Nacional dos Trabalhadores de Minas (NUM), Joseph Montisetse, a última pessoa com quem falaram antes de perder o contato disse: "Estamos a sufocar, por favor, traga-nos algum oxigênio".

A mídia local informou que os mineiros tinham entre 32 e 47 anos de idade.

A África do Sul tem algumas das minas mais profundas do mundo e acidentes mortais acontecem com uma certa frequência.

De acordo com o departamento de recursos minerais da África do Sul, 81 pessoas morreram nas minas do país no ano passado.

Leia mais