Presidente da Nigéria substitui principais comandantes militares | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 27.01.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Presidente da Nigéria substitui principais comandantes militares

O Presidente nigeriano nomeou novos responsáveis para liderar o Exército, a Marinha e a Força Aérea. Há muito que Muhammadu Buhari vinha sendo pressionado pela oposição e alguns aliados para reformular o comando militar.

Apesar de não ter sido dada qualquer explicação para a reforma na área da segurança, Garba Shehu, porta-voz do governo de Abuja, garantiu que "para proceder a estas alterações, o Presidente teve em consideração as melhores possibilidades para o país em matéria de segurança."

Principalmente no nordeste do país, os esforços do governo não têm sido suficientes para travar os ataques levados a cabo pelo grupo jihadista Boko Haram, que mataram já milhares de pessoas.

A substituição dos quatro principais líderes militares da Nigéria é vista por alguns analistas como uma surpresa, uma vez que Muhammadu Buhari defendeu sempre oficialmente as estratégias militares dos generais em funções.

No entanto, está não é a opinião do Major Yahaya Shunku Ritaya, especialista na área."A substituição dos chefes de segurança já há muito que era esperada. Foram nomeados responsáveis que já fizeram parte da luta contra a insurreição e a insegurança no país, por isso o que se espera é que continuem (este trabalho)", argumenta.

Symbolbild | Nigeria | SWAT

Militares nigerianos (foto de arquivo)

Remodelação recebida com agrado

Os ataques do Boko Haram no nordeste da Nigéria arrastam-se há mais de dez anos e provocaram já pelo menos 36.000 mortos e mais de dois milhões de deslocados. Por isso, a remodelação do comando militar foi recebida com agrado na região.

Dois dos muitos deslocados internos que residem, atualmente, num campo de deslocados na cidade de Maiduguri, dizem também ver com bons olhos a nomeação de responsáveis com experiência no terreno.

"Queremos que os deslocados internos possam voltar às suas vidas normais. Queremos poder voltar a cultivar nas nossas terras. Estamos cansados de estar aqui nos campos de deslocados", queixa-se um deslocado.

"Sinceramente, acho que os responsáveis cessantes tentaram fazer o seu melhor, mas em alguns casos, o seu melhor não foi de todo suficiente. Apesar de não sermos especialistas em segurança, sabemos que eles falharam", concorda outro nigeriano.

Tanto o novo chefe do Estado-Maior, o general Leo Irabor, como o novo chefe do Exército Ibrahim Attahiru, lideraram já, no passado, uma força multinacional contra o grupo jihadista Boko Haram na Nigéria.

Da lista das nomeações divulgada esta terça-feira (26.01) constam ainda o almirante A.Z Gambo, que assume a Marinha e o general Isiaka Oladayo Amao, nomeado para Chefe do Estado-Maior da Força Aérea.

Assistir ao vídeo 02:56

Nigéria: Como reintegrar ex-insurgentes do Boko Haram?

Leia mais