Partido dos Trabalhadores aponta Lula como candidato à Presidência do Brasil | NOTÍCIAS | DW | 04.08.2018

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Partido dos Trabalhadores aponta Lula como candidato à Presidência do Brasil

O Ex-Presidente brasileiro, detido desde abril por corrupção, foi oficialmente designado candidato do PT às presidenciais. Tribunal Superior Eleitoral ainda não decidiu se Lula da Silva pode concorrer.

A formalização da candidatura de Lula para um terceiro mandato é uma forma de "lidar com um sistema podre", disse a líder do PT, Gleisi Hoffmann, ao anunciar a nomeação de Lula, perante quase 2 mil ativistas, na convenção nacional do partido, no centro de São Paulo.

Lula da Silva, que governou o Brasil entre 2003 e 2010, está a cumprir uma sentença de 12 anos de prisão em Curitiba, no Estado do Paraná, por corrupção e branqueamento de capital no âmbito do caso do apartamento no Guarujá, em São Paulo, que o ex-Presidente recebeu de uma construtora em troca de favores nas adjudicações públicas de obras.

Apesar da ratificação da candidatura pelo PT, a Justiça Eleitoral ainda não definiu se o ex-chefe de Estado poderá concorrer às eleições. De acordo com a lei da ficha limpa, Lula da Silva está inelegível, mas a última palavra sobre a candidatura será dada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a partir de meados de agosto.

"A justiça não faz outra coisa que não seja persegui-lo, tentar inabilitá-lo, afastá-lo da discussão política, mas não há política no Brasil sem falar de Lula", afirmou Gleisi, que também é presidente do PT, durante a convenção, na qual centenas de pessoas usaram máscaras do ex-Presidente.

Brasilien Demonstration pro Lula und Dilma Rousseff

Manifestação de apoio a Lula da Silva e Dilma Rousseff, em março de 2016.

Plano B?

Também participaram no ato de anúncio da candidatura a ex-Presidente Dilma Rousseff, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, o senador Lindberg Farias, o ex-ministro Celso Amorim e o candidato do PT ao governo estadual de São Paulo, Luiz Marinho.

Segundo fonte do partido citada pela agência de notícias Reuters, Fernando Haddad será o candidato presidencial do PT se Lula da Silva for impedido de concorrer às eleições de 7 de outubro.

Caso Lula seja autorizado a avançar, Manuela D'Avila, do Partido Comunista, poderá abandonar a sua própria candidatura e juntar-se ao ex-chefe de Estado como candidata à vice-Presidência, segundo a mesma fonte.

No entanto, na sexta-feira, após visitar Lula da Silva na prisão, em Curitiba, a líder do PT afirmou que o antigo Presidente pediu mais alguns dias para que o partido possa decidir o número dois da candidatura.

Lula, de 72 anos, lidera as sondagens na corrida eleitoral mais incerta das últimas décadas no Brasil, apesar das hipóteses reduzidas de concorrer.

Um dia antes do prazo final de entrega das candidaturas, outros candidatos presidenciais foram confirmados pelos seus partidos, incluindo Geraldo Alckmin, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), um dos mais fortes representativos do centro político do país e, mais à esquerda, a ambientalista Marina Silva, que viu o seu nome aprovado por aclamação pelo partido que fundou, a Rede Sustentabilidade. 

Leia mais