Nigéria: Balanço positivo ou negativo para as presidenciais? | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 24.02.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Nigéria: Balanço positivo ou negativo para as presidenciais?

Comissão Eleitoral diz-se "satisfeita" com eleições deste sábado (23.02), mas grupos da sociedade civil falam em 35 mortos. Devido a atrasos relacionados com logística, algumas mesas de voto abriram este domingo (24.02).

Apesar de estarem já a ser contados os votos na maior parte da Nigéria, algumas mesas de voto voltaram a abrir este domingo (24.02), devido a problemas de logística registados no sábado (23.02), dia das eleições presidenciais no país. Foram principalmente atrasos na entrega do material que fizeram com que a votação fosse alargada até este domingo em "vários locais" do país, disse Oluwole Osaze-Uzzi, porta-voz da Comissão Eleitoral, à Associated Press. O representante não detalhou quais as assembleias de voto em questão, mas a imprensa local avança alguns nomes, como os estados de Plateau, Jigawa e Nasarawa. Em cerca de 8.500 mesas de voto não foi possível votar de todo, não tendo a Comissão Eleitoral avançado ainda qualquer solução para as populações destas áreas.

35 mortos

Embora a votação tenha sido pacífica na maioria das regiões, houve registo de alguns episódios de violência. Segundo grupos da sociedade civil, terão morrido, na sequência de atos violentos relacionados com as eleições, 35 pessoas.

Um número que, de acordo com estes mesmos grupos, superou o registado nas eleições da Nigéria de 2015 - consideradas, no geral, pacíficas, exceptuando a ocorrência de um ataque do Boko Haram que matou mais de doze cidadãos.

Clement Nwankwo, membro da "Sala de Situação", uma plataforma que representa mais de 70 grupos da sociedade civil, deu conta, ainda no sábado (23.02), que 16 pessoas foram mortas em oito estados nigerianos na sequência das eleições. Já a consultora SBM Intelligence, de Lagos, fala em 35 mortes.

A polícia não comentou qualquer um dos números. Já Festus Okoye, funcionário da Comissão Eleitoral, confirmou que algumas pessoas foram mortas nos estados de Rivers, Lagos e Oyo, no sul do país, mas não deu mais detalhes.

Não foi ainda confirmada a data do anúncio dos resultados eleitorais, no entanto, Festus Okoye garante que a contagem está a "correr bem" e que por isso, "a partir de terça-feira (26.02)", já haverá "um número substancial de resultados [apurados]".

As eleições presidenciais na Nigéria prometem, segundo observadores, uma luta renhida entre Muhammadu Buhari e Atiku Abubakar

Assistir ao vídeo 01:39

Eleições na Nigéria: O que os jovens querem

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados