Níger: Candidato do partido no poder eleito Presidente | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 23.02.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Níger: Candidato do partido no poder eleito Presidente

Mohamed Bazoum foi eleito na segunda volta das presidenciais com 55,75% dos votos. Resultado ainda será submetido ao Tribunal Constitucional, avançam autoridades eleitorais. Oposição fala em "assalto eleitoral".

Os resultados foram anunciados esta terça-feira (23.02) pelo presidente da Comissão Eleitoral Nacional Independente (CENI), Issaka Souna, junto do corpo diplomático e das autoridades nigerinas reunidas num centro de congressos na capital, Niamey, noticiou a agência France-Presse.

De acordo com os dados da CENI, a taxa de participação na segunda volta, realizada no domingo, foi de 62,91%. Mohamed Bazoum recolheu 2.501.459 votos, enquanto o positor Mahamane Ousmane foi a escolha válida de 1.985.736 eleitores entre os 7,4 milhões de nigerinos chamados às urnas no domingo.

O responsável da CENI esclareceu que estes resultados "são provisórios e devem ser submetidos à análise do Tribunal Constitucional".

Na primeira volta, em 27 de dezembro, Bazoum recolhera 39,3% dos votos, mais que os cerca de 17% de Ousmane.

Bildkombo Mohamed Bazoum und Mahamadou Issoufou

Mohamed Bazoum, Presidente eleito, e Mahamadou Issoufou, candidato da oposição

"Assalto eleitoral"

Pouco antes do anúncio da CENI, a oposição criticou o que apelidou de "assalto eleitoral" na segunda volta das eleições e exigiu a "suspensão imediata da publicação dos resultados".

"Apelo a todos os nigerinos (...) para se mobilizarem como um só para derrotar este assalto eleitoral", afirmou durante a tarde, junto da comunicação social, Falké Bacharou, diretor de campanha do opositor Mahamane Ousmane.

De acordo com Bacharou, "os resultados que serão publicados não estão em muitos casos de acordo com a expressão da vontade do povo". O diretor da campanha de Ousmane disse ainda que o Presidente cessante, Mahamadou Issoufou, e o seu campo "persistem em desafiar o povo soberano do Níger".

As declarações foram proferidas na capital, Niamey, diante de dezenas de apoiantes de Mahamane Ousmane.

Segundo a agência noticiosa francesa, vários manifestantes da oposição reuniram-se e foram perseguidos por agentes da polícia - que disparou gás lacrimogéneo - junto da sede do partido de Issoufou e de Bazoum, onde este último deverá falar.

Niger Protest gegen Ergebnis der Präsidentschaftswahl

Apoiantes da oposição protestam contra resultado da segunda volta

Eleições

Apesar da insegurança causada pela presença de grupos 'jihadistas' no país, os eleitores nigerinos votaram no domingo na segunda volta das eleições presidenciais, que colocaram o favorito Bazoum, leal ao Presidente cessante, Issoufou, frente a Ousmane.

A segunda volta ficou marcada pela morte de sete membros da CENI na explosão de uma mina em Tillabéri, na região oeste do país, no domingo. O veículo tinha sido alugado pela CENI de Tillabéri para transportar funcionários para fiscalizar a segunda volta das eleições presidenciais durante esse dia.

Um dos principais desafios do próximo Presidente será a contenção dos ataques 'jihadistas', que mataram centenas de pessoas desde 2010, mais de uma centena nos primeiros dias de janeiro, e expulsaram cerca de 500.000 pessoas das suas casas, de acordo com as Nações Unidas (mais de 300.000 refugiados e deslocados no leste, junto à fronteira com a Nigéria, mais de 160.000 no oeste, junto às fronteiras com a Mali e o Burkina Faso).

Assistir ao vídeo 01:05

Resistir à seca e às mudanças climáticas no Níger

Leia mais