Liga dos Direitos Humanos da Guiné-Bissau denuncia tentativa de assassínio de advogado | NOTÍCIAS | DW | 31.07.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Liga dos Direitos Humanos da Guiné-Bissau denuncia tentativa de assassínio de advogado

A Liga Guineense dos Direitos Humanos (LGDH) denunciou hoje (31.07) que o seu antigo presidente e advogado Luís Vaz Martins foi vítima de uma tentativa de assassínio.

A organização não-governamental dos direitos humanos fez a denúncia numa publicação na sua página oficial na rede social Facebook.

"A Liga Guineense dos Direitos Humanos (LGDH) denuncia e condena veementemente a tentativa de assassínio de Luís Vaz Martins ativista e advogado, minutos depois de ter saído do Debate Nacional, da Rádio Capital FM", refere a publicação.

Segundo a vítima, citado na nota da Liga, "um grupo de pessoas que seguia de uma viatura de matrícula estrangeira embateu três vezes contra o seu automóvel na tentativa de lhe provocar um acidente fatal, na via que liga o Bairro Militar a Antula, em Bissau" 

A LGDH qualifica como "covarde e gratuita aquela tentativa de silenciar as 'vozes dissonantes com o propósito de instalar um regime totalitário na Guiné-Bissau'. 

A organização defende a abertura de um "inquérito célere e transparente" para identificar e consequente punição dos autores daquele "ato criminoso". 

Na nota, a Liga expressa também "total solidariedade" com o advogado e responsabiliza as "autoridades nacionais pela sua vida e integridade física".

Antigo presidente da Liga Guineense dos Direitos Humanos, Luís Vaz Martins integra o coletivo de advogados do antigo primeiro-ministro guineense Aristides Gomes e da ex-ministra da Justiça Ruth Monteiro, entre outros.

A Rádio Capital FM, critica do poder na Guiné-Bissau, foi vandalizada há um ano.

Assistir ao vídeo 01:11

União para a Mudança denuncia estado de terror e ditadura na Guiné-Bissau

Leia mais