Liberianos aguardam resultados das presidenciais | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 28.12.2017

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Liberianos aguardam resultados das presidenciais

Novo Presidente deve ser conhecido esta sexta-feira (29.12), segundo a Comissão Eleitoral Nacional. Mas a imprensa liberiana diz que o ex-jogador de futebol e senador George Weah lidera a contagem dos votos.

Contagem de votos na terça-feira (26.12)

Contagem de votos na terça-feira (26.12)

Na Libéria, os meios de comunicação social afirmam que o ex-jogador de futebol George Weah está em vantagem sobre o vice-Presidente cessante Joseph Boakai na corrida para suceder a Ellen Johnson Sirleaf na Presidência da República.

Mas a Comissão Eleitoral Nacional informou que só anunciará o novo Presidente na sexta-feira (29.12), com a conclusão da contagem dos votos. O órgão poderá, no entanto, divulgar mais cedo resultados provisórios.

A votação, que decorreu na terça-feira com mais de um mês de atraso devido a contestações do partido no poder, foi elogiada pelo secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, que saudou "a realização pacífica" da segunda volta.

De acordo com o porta-voz do secretário-geral da ONU, Guterres felicitou "o Governo, os partidos políticos e o povo liberiano" pelo escrutínio e "espera que os desejos do eleitorado sejam respeitados e que uma transferência de poderes seja alcançada sem obstáculos dentro dos prazos previstos pela Constituição". 

"As eleições pacíficas, livres, transparentes e credíveis são pré-requisitos para a consolidação democrática e a paz e o desenvolvimento duráveis", acrescentou o secretário-geral das Nações Unidas.

A Comunidade Económica dos Estados da África Ocidental (CEDEAO) também saudou a natureza pacífica das presidenciais, que marcam a primeira transição democrática de poder no país em mais de 70 anos.

 Liberia Wahlen Joseph Boakai (l) und George Weah (R)

Joseph Boakai, de 73 anos (esq.), e George Weah, de 51

O "legado misto" de Sirleaf

Após 12 anos no poder, a primeira mulher Presidente em África e Nobel da Paz em 2011, Ellen Johnson Sirleaf, deixará agora o cargo, impedida pela Constituição de concorrer a um terceiro mandato.

Quando eleita pela primeira vez em 2005, Sirleaf teve de lidar com as expetativas dos liberianos e da comunidade internacional para a erradicação da pobreza e o combate à corrupção no país. A Presidente não conseguiu atingir o objetivo de fazer crescer a economia e o bem-estar do povo. Conseguiu, porém, consolidar a paz, com a ajuda da ONU, e sobretudo consolidar a democracia, segundo observadores.

Em entrevista à DW África, a vice-diretora do Programa Africano do instituto britânico Chatham House, Elizabeth Donnelly, afirma que Ellen Johnson Sirleaf "deixa um legado misto".

Gambia Staatskrise ECOWAS Treffen Ankunft Ellen Johnson

Sirleaf: legado manchado por fracassos no combate à corrupção

Segundo Donelly, a chefe de Estado é responsável por ajudar a manter a paz na Libéria desde o fim da guerra civil em 2003, tal como por contribuir para a promoção dos direitos das mulheres. "No entanto, tudo isso é ofuscado por alegações de corrupção contra os seus filhos e pelas medidas que Sirleaf estará alegadamente a tomar para tentar protegê-los de qualquer tipo de investigação", comenta a analista.

Sobre a redução dos níveis de pobreza, a vice-diretora da Chatham House comenta que a Presidente contou com o apoio da comunidade internacional, nomeadamente dos Estados Unidos e da ONU. Mas a especialista considera que a Libéria ainda tem muitos problemas devido à recente guerra civil, o que dificulta a sua reestruturação.

"Trata-se de um ambiente pós-conflito. É difícil e complexo fazer a reconstrução do país, consolidando a paz e sustentando a transição para a democracia ao mesmo tempo", afirma. 

Ouvir o áudio 02:50

Liberianos aguardam resultados das presidenciais

Prioridades do novo Governo

Para Elizabeth Donnelly, "num país onde a idade média é de 18 anos e o desemprego é uma preocupação real, ainda há muito a ser feito". "É preciso abordar essas coisas, e a esperança é que o país siga um histórico de paz, de modo a que estas questões possam avançar".

Entre as prioridades do novo Governo, a analista aponta as infraestrutras, nomeadamente a construção de estradas. "Isso tem implicações no desenvolvimento, para o comércio, para o crescimento de pequenas empresas no país", diz Donelly.

Cerca de 2,2 milhões de eleitores foram chamados às urnas na segunda volta das presidenciais, na terça-feira. A primeira volta foi realizada a 10 de outubro, tendo George Weah liderado a votação com 38,4%, e o vice-Presidente Joseph Boakai ficado em segundo lugar, com 28,8%.

Leia mais