Influenciador digital crítico ao Governo ugandês é libertado na Turquia, diz jornal | NOTÍCIAS | DW | 20.10.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Influenciador digital crítico ao Governo ugandês é libertado na Turquia, diz jornal

Jornais dizem que Fred Lumbuye foi libertado na Turquia, mas continua a ser procurado pelas autoridades ugandesas. Conhecido crítico ao Governo de Yoweri Museveni, influenciador digital é acusado de incitar violência.

A imprensa ugandesa publicou esta quarta-feira (20.10) que o influenciador digital crítico ao regime do Presidente Yoweri Museveni foi libertado na Turquia. Fred Lumbuye chegou a ser dado como desaparecido, mas o Governo ugandês confirmou, no dia 5 de agosto, a sua detenção pela polícia turca.

Lumbuye, que ficou conhecido pelas transmissões diárias em direto que fez no Facebook, está a ser investigado no seu país por "incitamento à violência". As autoridades ugandesas acusam-no também de difundir mentiras sobre o regime, pelo que já haviam emitido um mandado de captura através da Interpol.

No início deste ano, o oposicionista foi acusado de espalhar rumores de que o Presidente Yoweri Museveni tinha morrido.

Äthiopien Addis Abeba | Yoweri Museveni, Präsident Uganda

Lumbuye é crítico ao Governo de Museveni (foto)

Lumbuye ficou detido no Centro de Detenção de Estrangeiros Kocaeli, na Turquia, desde o início de agosto.

O jornal ugandês escreve que a Turquia informou sobre a libertação à equipa jurídica que defende o blogueiro.

David Lewis Rubongoya, secretário-geral da Plataforma de Unidade Nacional (NUP, na sigla em inglês), partido do oposicionista Bobi Wine, advertia que Lumbuye poderia não ter um julgamento justo, caso fosse deportado.

Celebrações nas redes sociais

Segundo os advogados, "Lumbuye foi preso por questões de imigração e acusações de incitar à violência entre os ugandeses na Turquia" informa o jornal. "As autoridades turcas afirmaram", no entanto, "que Lumbuye foi detido sob a acusação de visto expirado", prossegue a reportagem.

Lumbuye recebeu mensagens de solidareidade esta quarta-feira (20.10) pelas redes sociais. "Bem-vindo de volta professor Fred Lumbuye #alutacontinua" publica um seguidor no Twitter.

A polícia ugandesa informou, entretanto, ao jornal Nile Post, que não desistiu da perseguição a Fred Lumbuye, salientando que o influenciador continua a ser um homem procurado.

Segundo publica o jornal, foram abertos 15 processos contra Lumbuye e a polícia diz que "o convocará assim que estiver em jurisdição".

Assistir ao vídeo 05:46

Apoiante da oposição no Uganda: "Fui espancado e detido"

Leia mais