Guiné-Bissau: Adesão à greve da Função Pública ″acima dos 85%″ | Guiné-Bissau | DW | 05.01.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Guiné-Bissau: Adesão à greve da Função Pública "acima dos 85%"

A adesão é "grande," as escolas estão paralisadas, afirma a União Nacional dos Trabalhadores da Guiné-Bissau. A greve deverá prolongar-se até sexta-feira.

Fotografia de arquivo

Fotografia de arquivo

A greve geral para reivindicar o cumprimento da lei na contratação de funcionários públicos está a ter "uma grande adesão", revelou esta terça-feira (05.01) à agência Lusa o secretário-geral da União Nacional dos Trabalhadores da Guiné-Bissau (UNTG).

A participação ultrapassa os 85% e "as escolas públicas estão com adesão de 100%", disse Júlio Mendonça, salientando que só os funcionários das alfândegas não aderiram à greve na sua totalidade.

Além do cumprimento da lei de contratação na Função Pública, a UNTG pede a revogação de todos os despachos "ilegais" promovidos por diferentes ministros relativos à contratação de funcionários públicos. Segundo o secretário-geral da UNTG, o Governo criou uma comissão que fez um levantamento exaustivo de todas as violações legais, com recomendações, mas, até agora, nada foi cumprido.

Assistir ao vídeo 06:12

Guiné-Bissau: A incrível história de superação do "príncipe dos relatos"

Leia mais