Governo angolano altera lei para atrair mais investidores | Angola | DW | 26.05.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Angola

Governo angolano altera lei para atrair mais investidores

O Executivo angolano aprovou uma proposta de alteração à lei do investimento privado que permite negociar facilidades e incentivos de acordo com impacto económico e social dos projetos.

A proposta aprovada pela Comissão Económica do Conselho de Ministros, a que a agência de notícias Lusa teve acesso, "visa melhorar a competitividade na atração do investimento privado", sobretudo o investimento direto estrangeiro com comparticipação das multinacionais.

Fruto desta alteração, o novo regime contratual vai permitir a negociação de incentivos e facilidades tendo em conta "as especificidades dos projetos de investimento, os impactos sociais e económicos resultantes da sua implementação, a contribuição para o fomento da produção nacional e a diversificação das exportações". 

Na reunião desta terça-feira (26.05) foi também aprovado o Relatório e Contas do Banco Nacional de Angola (BNA) relativo ao exercício de 2019, bem como o relatório de origem e destino de divisas referente ao I trimestre de 2020, com uma síntese do comportamento das reservas internacionais.

Assistir ao vídeo 04:40

João Lourenço: "Investimento alemão é bem-vindo em Angola"

A Comissão Económica apreciou ainda a proposta de aviso do regime cambial aplicável ao setor diamantífero, que estabelece o regime aplicável às entidades que realizam a exploração, lapidação e/ou qualquer tipo de beneficiação de diamantes, bem como a sua comercialização.

A Comissão Económica do Conselho de Ministros de Angola apreciou ainda a legislação que vai regular a concessão de serviços aeroportuários no país, segundo o comunicado final da reunião. Segundo o documento, a que a Lusa teve acesso, foi analisado na reunião o projeto de decreto presidencial relativo à concessão de serviços aeroportuários de apoio à aviação civil que estabelece as regras para a celebração de contratos de concessão destes serviços, incluindo a operação, manutenção, financiamento e expansão dos mesmos.

Foi também apreciada a estratégia global para o setor que visa, entre outros objetivos, promover o crescimento da aviação civil e transformar Angola "numa importante plataforma giratória na região da África Subsaariana". A estratégia pretende ainda promover o investimento direto estrangeiro no setor aeroportuário, reforçar a segurança nas operações, garantindo as condições das infraestruturas, equipamentos e recursos necessários, alinhar o quadro regulatório e tarifário do setor da aviação civil com as melhores práticas internacionais e promover a sustentabilidade económica-financeira e social do sistema. 

Leia mais