1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Foto: Jürgen Bätz/dpa/picture alliance

Genocídio na Namíbia: Vítimas propõem nova negociação

Jana Genth
6 de abril de 2022

Acordo aprovado pelo Parlamento alemão ainda não foi ratificado na Namíbia. Agora, líderes Herero e Nama, descontentes com a proposta, querem uma nova negociação com o Governo que assumiu recentemente o poder em Berlim.

https://p.dw.com/p/49WVi

Há quase um ano, o então Governo alemão apresentou um acordo de reconciliação com a Namíbia, para sarar as feridas do genocídio dos povos Herero e Nama, no início do século passado. O episódio causou com cerca de 100.000 mortos.

Berlim ofereceu 1,1 mil milhões de euros de compensação ao longo de 30 anos e um pedido oficial de desculpas, como resultado de uma negociação de quase seis anos, com as autoridades namibianas.

No entanto, os hereros e o namas consideram a oferta alemã uma gota de água doce no oceano, conforme esclarece Nandi Mazeingo, chefe da Fundação Ova Herero Genocide.

"Rejeitamos [a oferta alemã] porque não tem nada a ver connosco. Não negociámos isto. Tudo o que foi negociado em nosso nome, mas sem nós, vai contra nós", afirma.

Os horrores do passado colonial da Alemanha na Namíbia

Gaob Keith Kooper, presidente da Nama Traditional Leaders Association, afirma que "o que a Alemanha ofereceu é simplesmente uma piada".

"Nenhuma quantia de dinheiro fará justiça à perda de vidas humanas, à perda de gado e de propriedade do povo Herero e do Nama", diz Kooper.

Exclusão nas negociações

Os grupos étnicos Nama e Herero denunciam exclusão nas negociações entre o Governo namibiano e alemão sobre as compensações, indica Laidlaw Peringanda, da associação namibiana de genocídios.

"O facto é que os Nama e Herero são uma minoria por causa do genocídio. Aqueles que falam Ovambo controlam todo o Governo. Quando algo é decidido, não temos voto na matéria. Somos cidadãos de segunda classe no nosso próprio país", denuncia Peringanda.

Entretanto, proposta alemã para compensar as vítimas do genocídio contra os hereros e os namas, ainda não foi ratificada pelo Parlamento namibiano.

Namíbia: um genocídio esquecido

Oportunidade para um novo acordo?

As associações das vítimas do genocídio olham para este facto como uma oportunidade para uma renegociação com  o novo Governo Federal alemão, com uma abordagem completamente nova, defende Laidlaw Peringanda.

"Tem de haver uma renegociação, e isto tem de envolver os namibianos de língua alemã, bem como os grupos de vítimas afetadas", explica.

Para isso, já foi endereçada uma carta à Berlim. E Gaob Keith Kooper, presidente da Nama Traditional Leaders Association, diz esperar que "o novo Governo de coligação retome as negociações e comece tudo de novo".

Mas enquanto a resposta de Berlim não chega, a controversa compensação alemã aos hereros e namas e questões em torno do genocídio ficam em banho maria.

Namíbia: Marcas da colonização

Saltar a secção Mais sobre este tema
Saltar a secção Conteúdo relacionado