FRELIMO investe na reabilitação de lugar histórico na Tanzânia | Moçambique | DW | 30.09.2021

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

FRELIMO investe na reabilitação de lugar histórico na Tanzânia

Espaço inclui residência onde viveu Samora Machel, um refeitório e a cozinha dos guerrilheiros. Infraestruturas deverão ser reabilitadas até ao próximo feriado da independência de Moçambique, a 25 de junho de 2022.

Bildergalerie über die FRELIMO Schule in Bagamoyo

Escola histórica em Bagamoyo, na Tanzânia

O secretário-geral da Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), partido no poder, anunciou um programa de reabilitação do espaço em Bagamoyo, Tanzânia, que acolheu os guerrilheiros da luta pela independência moçambicana.

"O local pode ser uma grande fonte de inspiração da juventude na luta pela manutenção dos ideais dos nossos partidos", disse Roque Silva na quarta-feira, referindo-se à FRELIMO e ao Chama Cha Mapinduzi, partido que lidera a Tanzânia, citado hoje pela Agência de Informação de Moçambique (AIM).

Bildergalerie über die FRELIMO Schule in Bagamoyo

As autoridades da educação tanzanianas abandonaram o prédio da escola

As infraestruturas deverão ser reabilitadas até ao próximo feriado da independência de Moçambique, a 25 de junho de 2022, e inserem-se nas comemorações dos 60 anos da Frelimo, que se assinalam na mesma data.

O espaço inclui a residência onde viveu Samora Machel, primeiro Presidente de Moçambique independente, um refeitório e cozinha dos guerrilheiros, dormitórios e salas de aulas onde estudaram parte dos combatentes e seus filhos. Roque Silva visita a Tanzânia desde terça-feira até sábado, com uma agenda de trabalhos que já incluiu um encontro com o homólogo tanzaniano, Daniel Chongolo.

O secretário-geral do Chama Cha Mapinduzi disse que o partido tanzaniano vai trabalhar para que, numa ação combinada, se possa vencer o terrorismo na província moçambicana de Cabo Delgado, fronteiriça com a Tanzânia, referiu a AIM.

Assistir ao vídeo 08:59

Sérgio Vieira: “Eu não tenho a minha versão da morte de Mondlane, mas a versão”