Etiópia: Primeiro-Ministro Abiy Ahmed ordena ofensiva à capital rebelde | Internacional – Alemanha, Europa, África | DW | 26.11.2020

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Internacional

Etiópia: Primeiro-Ministro Abiy Ahmed ordena ofensiva à capital rebelde

Primeiro-ministro etíope, Abiy Ahmed, autoriza militares a lançarem a "ofensiva final" à capital regional do Tigray após expirar prazo de 72 horas para a rendição dos líderes rebeldes. TPLF nega que soldados renderam-se.

Numa declaração publicada nos meios de comunicação social, o Prémio Nobel da Paz e Primeiro-Ministro etíope, Abiy Ahmed, autorizou o exército etíope a iniciar uma ofensiva a capital do Tigray com o fim do prazo de rendição da Frente de Libertação do Povo do Tigray (TPLF).

Ahmed disse que seria tomado grande cuidado para proteger civis inocentes de danos. O Primeiro-Ministro acrescentou que seriam feitos esforços para assegurar que a cidade de Mekelle, com meio milhão de habitantes, não fosse "gravemente danificada".

"O período de 72 horas concedido ao grupo criminoso TPLF para a rendição pacificamente está agora terminada e a nossa aplicação da lei chegou à fase final da campanha", disse Abiy na sua conta no Twitter, acrescentando que milhares de combatentes já se renderam.

A TPLF nega que seus combatentes se renderam. Grupos de direitos levantaram preocupações com os civis atingidos por operações militares. O trabalho jornalístico para conferir as informações do conflito é precário porque as conexões telefónicas e de Internet estão fracas e são controladas.

O gabinete da Abiy disse que as autoridades tinham começado a distribuir ajuda em áreas sob o controlo do Governo federal no Tigray região. Estavam a ser criados quatro campos para pessoas deslocadas.

Assistir ao vídeo 01:34

Tigray: O conflito na Etiópia que já faz milhares de refugiados

Leia mais