Começa julgamento da maior apreensão de cocaína feita na Guiné-Bissau | Guiné-Bissau | DW | 07.01.2020
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Guiné-Bissau

Começa julgamento da maior apreensão de cocaína feita na Guiné-Bissau

O julgamento do processo relativo à maior apreensão de cocaína feita na Guiné-Bissau, cerca de duas toneladas, tem início esta terça-feira (07.01), no Tribunal Regional de Bissau. No banco dos réus sentam-se 12 arguidos.

Segundo a Procuradoria-Geral da República, no âmbito do processo foram constituídos arguidos 12 pessoas, nomeadamente sete guineenses, três colombianos, um mexicano e um de nacionalidade maliana. 

As 12 pessoas são suspeitas de indícios da prática de crime de tráfico de droga, associação criminosa e branqueamento de capitais. 

Em setembro, a Polícia Judiciária (PJ) guineense anunciou a apreensão de 1.869 quilogramas de cocaína no norte da Guiné-Bissau no âmbito de uma operação, que ficou conhecida como "Navarra". 

"Esta é a maior apreensão de sempre de cocaína na história da Guiné-Bissau", disse em setembro o diretor nacional adjunto da Polícia Judiciária guineense, Domingos Correia. 

"Operação Carapau"

Em novembro, o Tribunal Regional de Bissau condenou a penas entre os 14 e 15 anos de prisão três pessoas detidas no âmbito da "Operação Carapau", que culminou com a apreensão de 789 quilogramas de cocaína, apreendidas em 8 de março. 

O tribunal decidiu também declarar "perdidos a favor do Estado todos os bens apreendidos no âmbito" daquele processo, salientando que o dinheiro apreendido durante a operação servirá para aquisição de motorizadas para a Polícia Judiciária e tribunais de várias regiões do país. 

A droga apreendida, que foi incinerada a 14 de março, teria como destino o Mali, para depois ser enviada para a Europa e Líbia e um dos suspeitos em fuga tem ligações à Al-Qaida do Magrebe Islâmico, segundo fontes da PJ. 

Leia mais