1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
(Foto simbólica)Foto: DW/B. Jequete

"Chapas" voltam a transportar na Beira

Lusa
13 de julho de 2022

Os transportadores coletivos de passageiros, vulgo "chapas", voltaram a circular na Beira, centro de Moçambique, após dois dias de protesto, mas ameaçam aumentar unilateralmente o preço de viagem.

https://p.dw.com/p/4E5QQ

"Retomamos a atividade, mas, se até segunda-feira não houver soluções, vamos aplicar as taxas aprovadas pela assembleia municipal", afirmou esta quarta-feira (13.07) Américo Mussicuane, presidente da Associação dos Transportadores da Beira (Atabe).

Mussicuane falava aos jornalistas após um encontro com o conselho municipal da Beira para uma solução sobre a paralisação dos transportes coletivos de passageiros.

O dirigente associativo considerou um alívio o regresso à atividade por parte dos "chapeiros", admitindo que o protesto dos transportadores penalizou os utentes.

O presidente do conselho municipal da Beira, Alberto Carige, apelou aos transportadores para voltarem a operar, frisando que a ação dos "chapeiros" prejudicou os passageiros e a economia da cidade, entre as maiores de Moçambique.

Crise dos transportes em Maputo aproxima estranhos

Aumento da tarifa depende do Governo central

Carige assegurou que aguarda a resposta do Governo central às propostas de aumento da tarifa de viagem submetida pelo município. O autarca avançou que a proposta está a ser analisada pelo Ministério dos Transportes e Comunicações.

"Cabe a nós aguardar. O que tenho a dizer é que vamos retomar as atividades", enfatizou.

O presidente do conselho municipal da Beira assinalou que a demora nos consensos em torno do preço de transporte de passageiros nas cidades moçambicanas é uma demonstração das falhas do processo de descentralização de poderes.

A crise dos transportes que a cidade da Beira atravessa começou na segunda-feira, quando os autocarros e "chapas", ligeiros improvisados como transporte urbano coletivo, encostaram os seus veículos, mais uma vez, exigindo a revisão do preço de transporte na cidade.

A proposta aumenta a tarifa de transporte de 10 meticais (0,15 euros) para 15 meticais (0,23 euros) nas viagens dentro da cidade e para 25 meticais (0,29 euros) nos trajetos fora da urbe.

Saltar a secção Conteúdo relacionado