Campeonato de Futebol Feminino são-tomense depende da FIFA | São Tomé e Príncipe | DW | 06.08.2013
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

São Tomé e Príncipe

Campeonato de Futebol Feminino são-tomense depende da FIFA

Principal competição de futebol do país está ameaçada pela falta de verbas. Recursos necessários para a compra de equipamentos para os 10 clubes apurados para a competição poderão vir da FIFA.

default

Campeonato ainda não começou por falta de recursos materiais e financeiros

O inicio da época 2013 do campeonato de futebol feminino de São Tomé e Príncipe depende da visita e posicionamento de altos responsáveis da FIFA (Federação Internacional de Futebol). A décima primeira edição do campeonato deveria ter começado em junho, mas está com o seu início atrasado. A situação causa ansiedade a jogadoras, dirigentes e organizadores.

O vice-presidente da Federação São-tomense de Futebol (FSF), Bartolomeu Pessoa, assegurou que a FSF não dispõe de verbas para fornecer equipamento às equipas. Conforme o dirigente, a FSF assumiu dívidas que deixaram a instituição com pouca margem de manobra.

Ele disse à reportagem da DW África que a FIFA ainda não acenou com o apoio e provavelmente o início do campeonato atrasará ainda mais. "Até então, [os agentes da FIFA] não nos enviaram [o auxílio]. Está previsto para o mês de agosto a vinda de uma equipe da FIFA relacionada com o futebol feminino", disse Pessoa.

O campeonato permanece sem data para começar. Segundo o dirigente, a deslocação da missão da FIFA ao arquipélago tem como finalidade fazer o levantamento das necessidades de São Tomé e Príncipe nesta modalidade. "Tem o sentido de ver todas as dificuldades do futebol feminino no terreno. Só depois deste levantamento é que poderão disponibilizar este ou aquele apoio."

Direcionando recursos

Atualmente a federação internacional transfere 250 mil dólares para a FSF. Destes recursos, 10% são disponibilizados ao desenvolvimento do futebol feminino, que atualmente se encontra em dificuldades.

"Queríamos que não houvesse margem para estes recursos serem usados em outros fins. Assim, nós expomos isto diretamente à FIFA. Eles entenderam a nossa situação e propuseram nos apoiar em termos de equipamento

Sao Tome und Principe Frauenfussball, Foto DW/Ramusel Graça Futebol Feminino

Sede da FSF

Em 2010, o futebol feminino são-tomense chegou ao 59º lugar no ranking da FIFA. Em São Tomé e Príncipe a prática do futebol feminino levou às autoridades a decidirem pela inclusão das raparigas nas forças armadas já há cinco anos.

"Das pessoas que na altura acreditaram que o futebol feminino pode contribuir mais seriamente para o desenvolvimento social e integridade da mulher são-tomense", destaca Manuel Dende, director do jornal desportivo Lancy e antigo presidente da federação da modalidade.

Disputas internacionais

A seleção são-tomense feminina de futebol, já participou em varias competições internacionais. Em 2005, enfrentou Angola num jogo amigável. Em 2008, jogou contra o Gabão a eliminatória da Taça das Nações Africanas (CAN), e em 2010 enfrentaria a República Centro-Africana para eliminatória do mundial.

Enquanto o campeonato não arranca, clubes com alguns meios deram início à preparação. O Correia Futebol Clube tem estado a organizar jogos amigáveis para deixar as jogadoras em ritmo de jogo. O presidente do clube, Orlando Pontes, diz que conta com parcerias no estrangeiro para deixar a equipa em um bom nível.

"Tenho algum dinheiro e posso investir, mas também tenho bons contatos. Tenho bons amigos, diretores de clubes em Portugal, que tem dado uma grande ajuda", afirma.

Correia Futebol Clube bateu o Agrosport Monte Café por dois a um há alguns dias. Pontes e as suas jogadoras estão ansiosos pelo início da nova temporada. O objetivo do clube é conquistar o campeonato. No entanto, todos terão que aguardar pela chegada dos representantes da FIFA em São Tomé e Príncipe .

Ouvir o áudio 03:25
Ao vivo agora
03:25 min

Início do Campeonato de Futebol Feminino em São Tomé e Príncipe depende da FIFA

Leia mais

Áudios e vídeos relacionados