Ativista dos direitos humanos anuncia candidatura às presidenciais moçambicanas | Moçambique | DW | 13.07.2019
  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Moçambique

Ativista dos direitos humanos anuncia candidatura às presidenciais moçambicanas

A ex-presidente da Liga dos Direitos Humanos de Moçambique, Alice Mabota, vai submeter sua candidatura às presidenciais pela Coligação Aliança Democrática.

A Coligação Aliança Democrática (CAD) anunciou este sábado (13.07), que a candidatura de Alice Mabota, ex-presidente da Liga dos Direitos Humanos (LDH) de Moçambique, será formalizada ao Conselho Constitucional (CC), na próxima segunda feita (15.07).

O comunicado da CAD refere que a coligação é uma aliança de partidos extraparlamentares e que Alice Mabota aceitou concorrer por esta organização às eleições presidenciais.

Alice Mabota é a ativista mais conhecida em Moçambique na luta pela promoção dos direitos humanos, tendo sido fundadora e primeira presidente da LDH, por mais de duas décadas.

Mosambik Kommunalwahlen (DW/Luciano da Conceição)

Presidenciais moçambicanas serão a 15 de outubro

Com a apresentação da candidatura de Alice Mabota, passam a cinco os candidatos às eleições presidenciais de 15 de outubro.

O atual Presidente da República, Filipe Nyusi, já submeteu ao CC a candidatura a um novo mandato pela Frente de Libertação de Moçambique (FRELIMO), partido no poder, tal como o líder da Resistência Nacional Moçambicana (RENAMO), principal partido da oposição, Issufo Momade.

O líder do Movimento Democrático de Moçambique (MDM), terceiro maior partido do país, Daviz Simango, e Hélder Mendonça, pelo novo partido extraparlamentar Podemos, são outros candidatos conhecidos.

Sendo assim, Alice Mabota é a única mulher na corrida presidencial moçambicana, até o momento.

As eleições presidenciais de 15 de outubro vão decorrer em simultâneo com as legislativas e provinciais.

 

Leia mais