1. Ir para o conteúdo
  2. Ir para o menu principal
  3. Ver mais sites da DW
Foto: Stringer/REUTERS

PRS, FNLA e PHA na tomada de posse de João Lourenço

Lusa
14 de setembro de 2022

Apesar da fraca adesão dos deputados da oposição ao processo de acolhimento que está a decorrer no parlamento angolano, partidos da oposição confirmam presença na cerimónia de amanhã. UNITA pronuncia-se esta tarde.

https://p.dw.com/p/4Gpj1

Os presidentes do PRS, FNLA e PHA, oposição angolana, vão participar da cerimónia de investidura do Presidente da República reeleito, João Lourenço, na sequência das eleições gerais de 24 de agosto, marcada para quinta-feira, confirmaram hoje fontes partidárias.

Benedito Daniel, presidente do Partido de Renovação Social (PRS), que nas quintas eleições angolanas elegeu dois deputados, confirmou à Lusa que já recebeu o convite e que estará presente na Praça de República, em Luanda, para a cerimónia.

Segundo o político, reeleito deputado para a quinta legislatura angolana, a decisão da sua presença na cerimónia de investidura de João Lourenço foi aprovada em sede de uma reunião do seu partido.

"Tudo porque não estivemos presentes nas cerimónias [de investidura] realizadas em 2012 e 2017 e, então, desta vez, a direção do partido decidiu estarmos nesta cerimónia de 2022", argumentou.

O presidente da Frente Nacional de Libertação de Angola (FNLA), Nimi a Simbi, também confirmou que estará presente nesta cerimónia de investidura do Presidente e da vice-presidente de Angola.

"Recebemos o convite sim e estaremos lá neste ato, assim como também vamos marcar presença na cerimónia de posse dos deputados [marcada para sexta-feira] na Assembleia Nacional", frisou.

Especial DW: Tomada de posse e manifestações em Angola?

Nimi a Simbi afirmou que irá, esta quarta-feira, à sede do parlamento angolano para participar do processo de acolhimento e iniciação dos deputados da quinta legislatura, uma espécie de cadastro interno, abrangente aos 220 deputados eleitos.

O líder da FNLA, que elegeu dois deputados para a nova legislatura, referiu igualmente que o seu partido se demarca de manifestações e que não vai entrar na "onda de contestação dos resultados eleitorais", por não ter disponíveis as atas sínteses para confrontar os resultados.

"Como sabe a reclamação dos nossos delegados de lista persiste, já tivemos algumas das nossas sedes vandalizadas, e eles, enquanto não receberam os seus pagamentos não nos querem entregar as atas, o resto fica para a história", atirou.

Uma fonte do Partido Humanista de Angola (PHA) disse à Lusa que a sua presidente, Bela Malaquias, também assistirá à cerimónia de investidura do Presidente angolano, João Lourenço.

A União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), maior partido da oposição, remeteu para a tarde desta quarta-feira um pronunciamento sobre a tomada de posse de João Lourenço.

A UNITA interpôs, esta terça-feira, junto do Tribunal Constitucional um recurso extraordinário de inconstitucionalidade contra a decisão de rejeitar o seu recurso de contencioso eleitoral com efeitos suspensivos da mesma. 

Saltar a secção Mais sobre este tema
Saltar a secção Conteúdo relacionado