Angola: Adalberto Costa Júnior acusa JLo de promover corrupção eleitoral | NOTÍCIAS | DW | 19.06.2022

Conheça a nova DW

Dê uma vista de olhos exclusiva à versão beta da nova página da DW. Com a sua opinião pode ajudar-nos a melhorar ainda mais a oferta da DW.

  1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

NOTÍCIAS

Angola: Adalberto Costa Júnior acusa JLo de promover corrupção eleitoral

O líder da UNITA, Adalberto Costa Júnior, acusou neste sábado o Presidente João Lourenço de conduzir o combate à corrupção financeira de forma seletiva e de estar a promover corrupção eleitoral.

O líder da União Total para a Independência de Angola (UNITA) falava na província do Cuando Cubango, onde participou das comemorações do 50 anos da fundação da Liga da mulher angolana (LIMA), braço feminino da UNITA.

Dirigindo-se aos militantes do seu partido, Adalberto Costa Júnior disse ser urgente a construção de uma Angola onde haja um tratamento igual para todos.

No entender de Adalberto Costa Júnior "a democracia no nosso país ainda não é uma realidade", indicou, justificando que Angola é "um país em que uns são filhos e outros enteados".

Angola | UNITA - Frauenliga (LIMA)

Liga da Mulher da UNITA (LIMA) celebrou este sábado (18.06), 50 anos da sua fundação

Desde a sua eleição em 2017, o atual Presidente de Angola e líder do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), João Lourenço, escolheu ocombate à corrupção como o seu "cavalo de batalha".

Mas aos olhos de Adalberto Costa Júnior, o combate a corrupção em Angola "é insuficiente, seletivo e não é dirigido de igual forma para todos", sublinhou.

Como consequência desta suposta seletividade, advoga Costa Júnior, "estamos a promover a corrupção eleitoral”.

"Sem a corrupção eleitoralo partido no poder [MPLA] não tem condições de ganhar as eleições", concluiu.

Bildkombo João Lourenço und Adalberto Costa Júnior

João Lourenço e Adalberto Costa Júnior

Medo de dialogar

De há um tempo há esta parte, muitas correntes da sociedade angolana têm exigido um frente-a-frente entre o presidente do MPLA e os candidatos da oposição.

Recentemente, João Lourenço disse que sempre esteve aberto para dialogar com qualquer cidadão.

Mas o líder da UNITA diz que o MPLA tem medo de dialogar.

"O partido que governa diz que dialoga,  mas quando é chamado ao diálogo ele não aparece. Tem medo", afirma Costa Júnior.

Com a aproximação das eleições gerais, marcadas para 24 de agosto próximo, o líder da UNITA garantiu neste sábado (18.06) que, nos próximos dias, serão divulgadas as listas de candidaturas a deputados à Assembleia Nacional.

De acordo com Adalberto Costa Júnior, farão parte desta lista elementos vindos do Bloco Democrático, PRA-JA Servir Angola e sociedade civil.

Angola: "O meu voto vai para a juventude e não para os mais velhos"