1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Volks convoca recall nos EUA por problema nos freios

Em meio a escândalo de emissões, montadora revela defeitos em mais de 90 mil carros dos modelos Beetle, Golf, Jetta e Passat. Venda de alguns automóveis no mercado americano já teria sido suspensa.

Em meio ao escândalo de manipulações de emissões, a Volkswagen anunciou nesta quarta-feira (04/11) o recall de quase 92 mil veículos nos Estados Unidos devido a um problema no sistema de freio. Os modelos afetados são Beetle, Golf, Jetta e Passat, anos 2015 e 2016, motor a gasolina 1.8 e 2.0.

Segundo a montadora alemã, em alguns automóveis há o perigo de aumentar o risco de acidentes devido a um defeito no eixo de comando de válvulas, que pode provocar uma perda de pressão no abastecimento do freio.

A Volks reforça, porém, que não são conhecidos casos de acidentes relacionados ao defeito. A empresa informou à agência de segurança de tráfego americana (NHTSA) sobre o recall.

De acordo com o jornal americano The Wall Street Journal, a gigante automobilística alemã também teria interrompido nos Estados Unidos a venda de alguns modelos 2015 e 2016 movidos a gasolina até que seja encontrada uma solução para o problema.

A falha no eixo de comando de válvulas teria sido identificada pela montadora em fevereiro e, depois de vários testes, a Volks decidiu realizar o recall em outubro, afirmou o periódico.

A Volkswagen ainda estaria procurando a causa do problema. A empresa informará os clientes em dezembro sobre o reparo, que pode durará até final de março.

Emissões de CO2

Esta semana marcou mais um período turbulento para a empresa. Nesta quarta-feira, o ministro alemão dos Transportes, Alexander Dobrindt, afirmou que 98 mil veículos movidos a gasolina estão entre os

800 mil carros das marcas Volkswagen

que apresentaram nível de emissões de dióxido de carbono superior ao declarado.

De acordo com Dobrindt, essa informação lhe foi passada pela própria montadora. "Tanto o procedimento que conduziu a esses resultados, quanto os resultados são inaceitáveis", declarou o ministro perante o Bundestag (câmara baixa do Parlamento), em Berlim.

A Volkswagen admitiu na terça-feira que uma apuração interna detectou irregularidades "inexplicáveis" nas emissões de dióxido de carbono em 800 mil automóveis fabricados pela montadora. A auditoria revelou em todos os procedimentos que alguns modelos emitem mais CO2 do que o certificado e, dessa maneira, consomem mais combustível.

Motores a diesel

Nos EUA, a subsidiária Porsche suspendeu na quarta-feira

a venda dos modelos Cayenne 2014, 2015 e 2016

com motor a diesel. Trata-se de uma medida preventiva, disse um porta-voz da empresa.

A suspensão foi decidida após a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) afirmar, na segunda-feira, que a Volkswagen instalou o polêmico software que adultera as emissões de poluentes também em motores a diesel 3.0, usado principalmente em modelos maiores e mais caros.

Em setembro, a EPA revelou uma fraude nos níveis de emissão de óxidos de nitrogênio em motores a diesel 2.0. Na época, a Volks admitiu ter vendido 11 milhões de veículos em todo o mundo que continham um software ilegal que adultera resultados de testes de emissão de gases tóxicos.

CN/dpa/afp

Leia mais