1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Economia

Raridades do Brasil na feira de sebos de Leipzig

Pela primeira vez, o Brasil está representado na exposição de livros raros e antigos, paralela à Feira do Livro de Leipzig. As preciocidades valem até 4,2 mil euros.

default

Visitantes procuram lançamentos na Feira de Leipzig

Pela primeira vez em 10 anos de sua existência, o espaço para exposição de sebos da Feira do Livro de Leipzig, de 25 a 28 de março, conta com a participação de um expositor da América Latina. A missão fica por conta do antiquariato Sebo Fino, de Petrópolis (RJ).

De acordo com a presidente da Associação Brasileira dos Livreiros de Antiquariatos e proprietária do Sebo Fino, Ana Maria Bocayuva de Miranda Jordão, o objetivo de sua participação na Feira de Leipzig é a divulgação do mercado brasileiro de livros raros e antigos, que remetem à cultura e natureza do país.

"Além da importância dos contatos com livreiros de diversos países, a idéia principal nesta feira é abrir o mercado brasileiro para a Alemanha, despertando o interesse internacional por livros brasileiros e de origem latina", afirmou Ana Maria a DW-WORLD.

Acervo especial para a Europa

Entre os dez exemplares reeditados no século 20 que Ana Maria trouxe para o evento, destacam-se dois volumes sobre pássaros Ornitologia Brasileira ou História Nacional das Aves do Brasil. A obra é uma edição especial extremamente rara, com a primeira edição em português datada de 1854, de acordo com a administradora.

Em homenagem à Alemanha, Ana Maria apresenta o livro editado em Leipzig no ano de 1680 Iconologia Deorum, que conta a história dos deuses do Olimpo. Valor estimado: 680 euros.

Especialmente para os europeus, Ana destaca 24 fotografias originais contidas no livro francês Souvenir des Alpes-Maritimes, editado em Mônaco no final do século 19.

Sobre o Brasil, também o antiquariato alemão Butter apresenta dois exemplares em Leipzig. Bilder aus Brasilien (Imagens do Brasil), de Carl von Koseritz, data de 1885, enquanto Copia der Newen Zeytung auss Presillg Landt é reprodução de um jornal cuja origem estima-se ser de 1508.

Segundo o organizador da feira de sebos, Detlef Thursch, a presença inédita de um país latino-americano numa feira de livros antigos destaca Leipzig como o centro internacional do ramo este ano. A feira conta também com a participação de sebos da Inglaterra, Holanda, Áustria, Suíça, Suécia, Estados Unidos e Alemanha.

Sebo: uma história de sucesso

A paixão de Ana Maria por livros antigos começou quando ainda era pequena. Ela conta que gostava de escutar as conversas sobre livros raros que o pai, o advogado e bibliófilo Haryberto de Miranda Jordão, tinha com os amigos.

O interesse pelo assunto acabou levando a antiquária a fundar um sebo com o primo e jornalista Márcio Moreira Alves num andar desocupado da casa de Ana, no centro histórico de Petrópolis. Com o nome de Sebo Fino, o antiquariato tem hoje no acervo cerca de dois mil livros, documentos históricos e ilustrações, que custam de 560 a 4,2 mil euros.

Segundo Ana Maria, o objetivo do trabalho de administração do sebo é buscar raridades no mercado, através de catálogos de leiloeiros de todo o mundo ou de fontes que cultiva.

Ana Maria não gosta de falar dos preços das obras antigas, mas acaba divulgando o preço de uma ou outra. Alguns valores são, entretanto, de domínio público, como a compra de 200 itens de seu acervo pelo Congresso Nacional, em 1999. O total negociado na época foi de 180 mil reais.

Entre as raridades do sebo, a antiquária destaca A Coleção da Independência, que reúne em 18 volumes encadernados toda a correspondência entre o príncipe regente Dom Pedro e o pai, Dom João VI, após o retorno da corte para Lisboa.

Pelo Sebo Fino já passaram clientes como o ex-presidente José Sarney, o ex-deputado Cândido Mendes, os empresários Oswaldo Vicentim e Paulo Teixeira e o ex-embaixador Walter Moreira Salles, já falecido.

Feira do Livro, recorde de expositores

Leipziger Buchmesse, Plakat

Feira do Livro tem como tema "Leipzig lê"

Com a expectativa de receber pelo menos 100 mil visitantes nos quatro dias do evento, a Feira do Livro de Leipzig registra número recorde de inscrições, segundo a organização. Além do Brasil, mais 28 países mostram seus livros por meio de dois mil expositores, um aumento de 5% em relação ao ano passado.

Para o presidente da Associação do Comércio Livreiro da Alemanha, Dieter Schormann, nos últimos dois anos, o mercado de livros tem passado por grandes mudanças e evoluções no processo de modernização. Deste participam não só as livrarias, mas também as editoras. "Estou otimista em relação ao mercado e calculo um crescimento de pelo menos 3% nas vendas até o final deste ano", anuncia.

Programas variados

O sucesso desta edição de 2004 é motivo de orgulho para o coordenador da Feira do Livro, Oliver Zille. De acordo com ele, a quantidade de expositores de livros dirigidos para crianças e adolescentes também aumentou este ano. "Desta vez, contamos com 260 programas para este público, enquanto que no ano passado, foram 190", comemora.

Há cinco anos, a feira concede espaço para seções de audio book. Cento e vinte expositores mostram livros feitos para serem ouvidos, em vez de lidos. Eles fazem grande sucesso na Alemanha.

O programa paralelo Leipzig liest (Leipzig lê) inclui 1,2 mil eventos, tais como sessões de leituras e fóruns de debate, com cerca de mil participantes.

Leia mais

Links externos