1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Mundo

Obama parte para o ataque e consegue se recuperar no segundo debate

Depois do fracasso no primeiro debate televisivo, todas as atenções estavam voltadas para Obama. E, segundo as primeiras pesquisas, desta vez ele se saiu melhor do que Romney.

O respiro de alívio entre os partidários do presidente Barack Obama pôde ser ouvido desde o começo de um debate em que o presidente se apresentou de forma bem diferente do que no primeiro duelo.

Ao contrário de duas semanas atrás, quando Obama parecia passivo e um pouco sonolento, desta vez ele se mostrou engajado e atento. Respondeu aos argumentos do republicano Mitt Romney e reiteradas vezes destacou o ponto central de seu discurso: fortalecer a classe média e proporcionar chances iguais para todos.

Obama acusou o concorrente de apenas defender os interesses dos ricos. "O governador Romney diz que tem um plano de cinco pontos", declarou o presidente na Universidade Hofstra, em Hempstead, estado de Nova York. "Mas o governador Romney não tem um plano de cinco pontos, ele tem um plano de um ponto e este deve assegurar que as pessoas que estão no topo possam jogar com as suas próprias regras".

A participação de Romney foi razoável. Ele conseguiu ser convincente em alguns aspectos, mas perdeu na avaliação geral – ao contrário do primeiro debate. Uma primeira pesquisa da emissora de televisão CNN entre eleitores registrados que acompanharam o debate apontou que 46% declaram Obama vencedor e 39%, Romney. E 73% declaram que o presidente se saiu bem melhor do que o esperado.

Foi uma importante conquista para Obama, pois após o primeiro debate ele havia perdido espaço. Pesquisas de opinião no país inteiro apontaram o crescimento de Romney, incluindo os chamados battleground states, os estados particularmente disputados.

Romney und Obama TV-Duell

As gentilezas do início deram logo lugar aos ataques

Foco nas mulheres

Entre esses estados estão a Flórida e a Carolina do Norte, onde algumas pesquisas chegaram a mostrar o ex-governador de Massachusetts à frente de Obama.

Mas Romney pontuou também entre os telespectadores ouvidos pela CNN na noite passada, após o segundo debate. Ele ganhou notas melhores em temas como economia, reforma do sistema de saúde, políticas fiscal e orçamentária.

Se o governador permanece sendo o candidato favorito entre as mulheres, como após o primeiro debate, ainda está por ser avaliado. Entre os usuários do Twitter, um comentário de Romney gerou críticas imediatas: no debate sobre as leis de porte de armas, ele afirmou que há uma relação direta entre jovens violentos e mães solteiras.

Segundo Romney, não há a necessidade de uma nova legislação para o porte de armas, mas uma política de incentivo à união tradicional de casais. Obama defende o restabelecimento da proibição de armas automáticas, que foi extinta por causa da resistência dos republicanos.

A resposta de Romney para a pergunta de como ele garantiria às mulheres direitos iguais aos dos homens no mercado de trabalho foi: "Fortalecendo a economia, assim as empresas vão se esforçar para contratar mais mulheres". Obama mencionou uma lei, posta em vigor por ele e que garante salários iguais para mulheres e homens que ocupem os mesmos cargos.

Cidadãos fazem perguntas

Este debate de 90 minutos teve um formato diferente do primeiro. No chamado debate town-hall, eleitores indecisos fizeram as perguntas, e a apresentadora da CNN Candy Crowley fazia apenas o papel de moderadora. Obama e Romney puderam se movimentar livremente, aproximando-se da plateia.

Quando um telespectador perguntou se, antes do ataque ao consulado americano na cidade de Bengasi, o Departamento de Estado realmente rejeitou um pedido de reforço da segurança, Obama não respondeu diretamente a questão. Funcionários do governo já haviam confirmado isso numa audiência no Congresso.

Romney se perdeu em detalhes no seu comentário, e também nesse ponto o presidente saiu vencedor. Obama assumiu a responsabilidade neste caso, apesar de a secretária de Estado Hillary Clinton ter tentado anteriormente atenuar as acusações contra o presidente declarando que a área é de responsabilidade dela e, assim, a culpa também era dela.

Os dois lados saem satisfeitos

As equipes de campanha dos dois partidos se mostraram satisfeitas com o debate. "O presidente Obama visivelmente ganhou o debate", disse o chefe de campanha dos democratas, Jim Messina. "Os americanos puderam ver um líder – um presidente forte, firme, simpático e decidido, com uma visão positiva, que levará este país para frente e construirá a economia a partir do meio e não de cima para baixo."

O governador republicano da Virgínia, Bob McDonnell, disse que Romney deixou claro diante de qual decisão os americanos se encontram. "Independentemente se ele falou sobre emprego, imposto, dívida, saúde ou política externa, ele monstrou um forte contraste entre a política de crescimento, que tratará segurança aos Estados Unidos dentro e fora de suas fronteiras, e o balanço do presidente Obama, que infla o aparelho de governo e que não vai reforçar nossa economia nem nossa influência externa."

O terceiro e último debate acontecerá na próxima segunda-feira na Flórida e deve tratar exclusivamente de política externa.

Autora: Christina Bergmann, de Hempstead (cn)
Revisão: Alexandre Schossler

Leia mais