1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Esporte

Ex-presidente da DFB confirma caixa 2 para Copa de 2006

Theo Zwanziger afirma que atual mandatário da Federação Alemã de Futebol, Wolfgang Niersbach, está mentindo e garante que havia dinheiro secreto na campanha do país para sediar o Mundial. Fifa abre investigação.

default

O ex-presidente da Federação Alemã (DFB) Theo Zwanziger: "É óbvio que havia um caixa 2 acoplado à proposta alemã"

O ex-presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB) Theo Zwanziger acusou o seu sucessor, Wolfgang Niersbach, de mentir sobre o desconhecimento de um caixa 2 supostamente usado para obter o direito de sediar a Copa do Mundo de 2006.

Em prévia da próxima edição da revista alemã Der Spiegel, publicada nesta sexta-feira (23/10), Zwanziger, que presidiu a federação entre 2006 e 2012, afirmou que o comitê organizador da Copa na Alemanha teve acesso ao caixa 2. A Fifa confirmou que lançará uma investigação.

"É óbvio que havia um caixa 2 acoplado à proposta alemã de sediar o Mundial", disse o ex-presidente. "E também é claro que o atual presidente da DFB, ao contrário do que ele afirma, tem conhecimento sobre isso no mínimo desde 2005. Da maneira como eu vejo as coisas, Niersbach está mentindo."

Os comentários de Zwanziger vieram a público um dia após o atual presidente de a DFB ter

rejeitado as alegações de compra de votos

para garantir o direito de sediar a Copa do Mundo de 2006. Niersbach, no entanto, confirmou o pagamento de 6,7 milhões de euros à Fifa para, segundo ele, garantir um apoio financeiro adicional.

"O direito de sediar a Copa do Mundo de 2006 foi conseguido de forma limpa", garantiu Niersbach, durante cerimônia de abertura do novo

Museu Alemão do Futebol

. "Não houve caixa 2, não houve compra de votos." Quando questionado, Niersbach não soube responder por que o depósito era necessário para garantir mais receitas.

A revista alemã Der Spiegel

publicou no início desta semana uma matéria

afirmando que o dinheiro foi transferido para um caixa 2 administrado pelo então presidente da Adidas Robert Louis-Dreyfus e que este era para ser usado para garantir os votos de quatro membros asiáticos do Comitê Executivo da Fifa. A votação pela sede de 2006 ocorreu em meados de 2000.

"Nós não sabemos o que a Fifa fez com os 10 milhões de francos suíços [6,7 milhões de euros]", disse Niersbach, na quinta-feira.

PV/dpa/sid

Leia mais