1. Inhalt
  2. Navigation
  3. Weitere Inhalte
  4. Metanavigation
  5. Suche
  6. Choose from 30 Languages

Futebol

Presidente da DFB nega compra da Copa de 2006

Em entrevista veiculada no site da federação, Wolfgang Niersbach rejeitou "absoluta e categoricamente" que escolha da Alemanha como sede do Mundial tenha sido fruto de suborno. Acusação foi publicada por revista alemã.

O presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB), Wolfgang Niersbach, rejeitou neste sábado (17/10) "absoluta e categoricamente" que a escolha da Alemanha como sede da Copa do Mundo de 2006 tenha sido comprada.

Niersbach também garantiu, em entrevista ao site da DFB, que "com certeza" não houve caixa 2 e nem compra de votos no âmbito da escolha da Alemanha como sede do Mundial. Ele acusou a Der Spiegel de não ter provas das acusações e disse que os advogados da federação tomarão medidas legais contra a revista.

A publicação

noticiou

que o então presidente da Adidas, Robert Louis-Dreyfus, bancou um caixa 2 de 10,3 milhões de francos suíços, o equivalente a 13 milhões de marcos alemães na época, para o comitê responsável pela candidatura alemã.

O presidente do comitê, Franz Beckenbauer, o atual presidente da DFB, Wolfgang Niersbach, e outros funcionários do alto escalão do futebol alemão sabiam da transação, segundo o semanário.

Niersbach confirmou, como afirma a Der Spiegel, que em 2005 houve um pagamento do comitê organizador da Copa do Mundo à Fifa no valor de 6,7 milhões de euros, e disse que o dinheiro pode ter sido empregado em um fim alheio ao que se destinava originalmente. "Eu soube disso neste verão e determinei uma auditoria interna", afirmou Niersbach.

Ele acrescentou que a questão está sendo verificada, mas disse que já pode descartar "de forma definitiva" que o pagamento tivesse conexão com a eleição da sede do Mundial.

O dinheiro, de acordo com a revista, foi usado para comprar os votos dos quatro representantes asiáticos no comitê executivo da Fifa, composto por 24 pessoas. Os quatro asiáticos, de fato, votaram para a Alemanha como sede da Copa, na eleição de julho de 2000. Além disso, o neozelandês Charles Dempsey se absteve no último turno da votação, o que deu a vitória para a Alemanha, por 12 votos contra 11.

MD/rtr/dpa

Leia mais